1/3

45% de alunos universitários relatam dificuldades acima do esperado durante a pandemia


JAPÃO - A porcentagem de estudantes universitários japoneses que não têm uma vida satisfatória em meio à pandemia ficou perto dos 45% em julho, com muitos dizendo que se sentem deprimidos, têm dificuldades financeiras e enfrentam limitações nas aulas online, de acordo com uma pesquisa.


A proporção de estudantes relatando vidas não realizadas em meio a menos oportunidades de se conectar uns com os outros devido à pandemia aumentou quase 20 pontos percentuais desde o outono de 2020, de acordo com a pesquisa online da Federação Nacional de Associações Cooperativas de Universidades.


Em uma pergunta que permite várias respostas sobre o que os preocupa, 66,7% disseram que "se sentem preocupados com o futuro", seguidos por 45,3% dizendo que "estão letárgicos e sem motivação".


A pesquisa foi realizada entre 5 e 19 de julho, obtendo respostas de 7.637 alunos de 245 universidades do país.


Os alunos também sofreram na frente financeira, pois 19,6% disseram que sua renda de empregos de meio período diminuiu à medida que os turnos de trabalho foram reduzidos devido ao estado de emergência ou quase emergência devido ao vírus, que impõe restrições às atividades comerciais.


Alguns alunos disseram que não conseguiram nem mesmo encontrar um trabalho de meio período.


Em estado de emergência, os restaurantes e bares que servem bebidas alcoólicas ou oferecem karaokê são solicitados a fechar, enquanto os que não servem bebidas alcoólicas devem fechar às 20h. Um quase estado de emergência acarreta menos restrições às atividades comerciais.


A pesquisa também observou um aumento no número de alunos cuja renda mensal de empregos de meio período era inferior a 30.000 ienes (US$ 273), em comparação com os dados dos dois anos anteriores.


Questionados sobre preocupações recentes com a saúde, 44,6% disseram "não sentir vontade", 38,5% relataram "fadiga ocular" e 37,6% responderam "sentir-se estressado".


Quanto às medidas que os alunos esperam que as universidades implementem para melhorar a situação atual, mais de 50% dos alunos do primeiro e do segundo ano disseram que deveriam ser feitos esforços para criar oportunidades no campus que lhes permitissem se conectar.


Enquanto isso, mais de 26% dos alunos do segundo e do terceiro ano e 30,6% dos alunos do último ano buscaram maior assistência financeira, como bolsas de estudo.


Nas aulas online, 57,8% disseram ter dificuldade em se manter concentrado em comparação com as aulas presenciais, enquanto 47,8% disseram não estar cientes do progresso dos colegas em seus estudos e 47,3% citaram um grande número de tarefas .


“Os alunos estão sendo forçados a ficar sozinhos devido às restrições sociais em suas atividades”, disse um funcionário da federação. "É importante que as universidades e a sociedade ajudem os alunos a construir conexões humanas."