1/3

65% dos refugiados de Fukushima não querem voltar para a casa, segundo pesquisa


FUKUSHIMA - 65% das pessoas que evacuaram da província de Fukushima após o desastre nuclear de março de 2011 não têm intenção de retornar, de acordo com uma pesquisa recente conduzida por uma universidade japonesa.


Embora a pesquisa, conduzida por um centro de pesquisa na Universidade Kwansei Gakuin, tenha recebido respostas de apenas 522 das 4.876 pessoas a quem os questionários foram enviados, ela forneceu uma visão rara de como os ex-residentes veem a reconstrução de sua antiga casa.


O governo da prefeitura nordestina não realiza pesquisas desse tipo nos últimos anos. Houve mais de 36.900 evacuados dentro e fora da prefeitura em outubro, de acordo com o governo da província.


Entre os 522 entrevistados que residiam na prefeitura na época dos derretimentos nucleares na usina de Fukushima Daiichi, provocados pelo grande terremoto e tsunamis que se seguiram, 341 pessoas disseram que não pretendem retornar.


De acordo com a pesquisa realizada entre julho e setembro, 138 pessoas disseram que planejam voltar e 43 pessoas não responderam ou ofereceram uma resposta válida.


Em resposta a uma pergunta de múltipla escolha por que eles não voltaram para suas casas, 46,1% disseram que ainda temem a contaminação do meio ambiente, seguidos por 44,8% que disseram que se estabeleceram em lugares onde vivem atualmente.