1/3

80% dos hospitais de Okayama relatam preocupação com falta de equipe médica


OKAYAMA - Uma pesquisa da Associação de Enfermagem de Okayama descobriu que mais de 80% dos hospitais da prefeitura que aceitam pacientes infectados estão preocupados com a escassez de mão de obra, como enfermeiras, enquanto os efeitos do novo coronavírus são prolongados.


Esta pesquisa foi conduzida em novembro do ano passado, quando a entidade visitou 103 hospitais da prefeitura, na tentativa de investigar a situação da equipe de enfermagem.


De acordo com isso, em resposta à pergunta "A equipe de enfermagem do hospital é suficiente para atender aos pacientes?", Dos 27 hospitais que aceitam pacientes infectados com o novo coronavírus, 23 hospitais disseram que não, o que corresponde cerca de 80% dos hospitais.


Além disso, quando questionados sobre as questões de proteção de recursos humanos em uma descrição gratuita, oito hospitais responderam: "Contratação de enfermeiras que podem cuidar do turno noturno" e "O trabalho estressante continua sem qualquer subsídio especial."


Além disso, mesmo em hospitais que não aceitam pacientes, há respostas como "Alguns funcionários que estão tendo cansaço físico e mental" devido à necessidade de exames de vírus e trato com pessoas suspeita de estar infectada.


Akemi Miyata, presidente da Associação de Enfermagem da Prefeitura de Okayama, disse: "Os enfermeiros estão trabalhando desesperadamente com um senso de missão, mas desde dezembro do ano passado, as infecções se espalharam, incluindo aglomerações em vários lugares, e há relatos de pessoas dizendo que estão extremamente exaustos. Precisamos de apoio adequado para proteger os cuidados médicos ou iremos entrar em colapso."