1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

86 menores foram sequestrados por meio de redes sociais no ano passado no Japão


JAPÃO - O número de pessoas menores de 18 anos que foram vítimas de sequestro por meio do uso de mídias sociais no Japão em 2021 aumentou 11 em relação ao ano anterior, para um recorde de 86, informou a Agência Nacional de Polícia na quinta-feira.


O aumento de crianças sob coação devido a intimidação ou suborno aparentemente reflete um aumento no número de casos envolvendo meninas fugitivas. Como parte das contramedidas, a polícia está emitindo alertas sobre postagens inadequadas nas redes sociais, como aquelas destinadas a atrair fugitivos.


Algumas meninas que fugiram de casa tendiam a usar as redes sociais para procurar um lugar para ficar. Os adultos que tentarem atrair esses menores podem ser acusados ​​de sequestro de um menor, mesmo que a criança dê seu consentimento.


De acordo com a NPA, o número de crianças que foram vítimas de sequestros ligados à mídia social foi de duas em 2012, 21 em 2017 e 75 em 2020. Acredita-se que o aumento recente reflita o aumento do uso de smartphones.


Em 2020, o departamento de polícia da província de Aichi começou a emitir avisos sobre postagens suspeitas no Twitter, como uma dizendo: “Entre em contato comigo se estiver com problemas depois de fugir de casa”. A polícia de Aichi também está alertando as crianças para dissuadi-las do crime.


A NPA está considerando espalhar essas contramedidas para os departamentos de polícia em todo o país.


O número total de pessoas com 17 anos ou menos que foram vítimas de crimes relacionados às mídias sociais em 2021 foi de 1.812, quase inalterado em relação ao ano anterior, segundo a agência. Destes, 937 eram alunos do ensino médio, 718 alunos do ensino médio e 83 alunos do ensino fundamental.


Do total, aqueles que sofreram atos indecentes que violaram as portarias de proteção juvenil somaram 665, e o número daqueles que foram vítimas de pornografia infantil, como enviar fotos nuas de si mesmos, chegou a 657.


Houve duas vítimas de homicídio e 34 vítimas de relações sexuais forçadas. A NPA tomará medidas como incentivar os operadores de mídia social a excluir voluntariamente postagens inapropriadas.