1/3

Pfizer deve solicitar a aprovação da vacina COVID-19 do Japão na sexta-feira


TÓQUIO - A gigante farmacêutica norte-americana Pfizer Inc. solicitará aprovação formal sexta-feira pelo Japão de sua vacina COVID-19 para o novo coronavírus como o primeiro fornecedor no país a fazê-lo, de acordo com fontes familiarizadas com a mudança.


O governo japonês já concordou com a Pfizer em receber um fornecimento de 120 milhões de doses de vacina, o suficiente para 60 milhões de pessoas, ou cerca de metade de sua população.


Os Estados Unidos e a Grã-Bretanha já começaram a administrar a vacina contra o coronavírus desenvolvida em conjunto pela Pfizer e seu parceiro alemão BioNTech SE, enquanto Cingapura e alguns outros países devem seguir o exemplo.


Mas as preocupações permanecem sobre sua segurança, já que as autoridades locais dos EUA disseram na quarta-feira que um profissional de saúde no Alasca mostrou uma séria reação alérgica à vacina. Reações alérgicas semelhantes por dois profissionais de saúde também foram relatadas na Grã-Bretanha.


No início do mês, o parlamento do Japão promulgou uma lei para cobrir os custos dos residentes a serem vacinados, com o recente ressurgimento de infecções não mostrando sinais de diminuir.


Como a vacinação pode começar já em março, o governo japonês planeja pedir aos municípios que preparem locais, além de instituições médicas, e sistemas prontos para aceitar reservas.


A vacina Pfizer-BioNTech foi projetada para ser entregue em lotes de 1.000 doses, mas elas precisam ser armazenadas a menos 75 C ou menos e administradas em aproximadamente 10 dias.