1/3

Agência Dentsu planeja vender seu prédio em Tóquio


JAPÃO - A agência de publicidade Dentsu Group Inc. está considerando vender seu prédio-sede de 48 andares em Tóquio por cerca de 300 bilhões de ienes (US $ 2,9 bilhões), o que o tornaria o prédio mais caro a ser vendido no Japão, disseram fontes próximas ao assunto na quarta-feira.


A possível venda viria quando muitos dos 9.000 funcionários da Dentsu na sede estão trabalhando em casa devido à nova pandemia de coronavírus como parte dos esforços para conter as infecções por vírus, e apenas cerca de 20 por cento deles atualmente vão para o escritório, disseram as fontes.


No início do mês, o governo japonês declarou estado de emergência pela segunda vez em Tóquio e em três prefeituras vizinhas, posteriormente expandindo-o para incluir algumas outras prefeituras.


Existem vários candidatos a compradores para o edifício, concluído em 2002, de acordo com as fontes.


A Dentsu disse em um comunicado que está considerando vender o prédio como parte de uma revisão abrangente de seus negócios, mas "ainda não tomou uma decisão".


A empresa também pretende reduzir seus ativos e gerar caixa para enfrentar as vendas atingidas pela pandemia, de acordo com as fontes. A empresa também planeja reduzir o tamanho do escritório central e mantê-lo imóvel, alugando alguns andares do prédio de um novo proprietário.


Pacific Century Place Marunouchi, um prédio de escritórios de 32 andares no centro de Tóquio que um fundo imobiliário comprou de uma empresa de Hong Kong em 2006, alcançou o preço mais alto de cerca de 200 bilhões de ienes entre as transações imobiliárias comerciais do país, de acordo com a agência imobiliária Jones Lang LaSalle IP Inc.