1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Alta do petróleo e queda do iene faz Japão ter maior déficit comercial desde 1979


JAPÃO - As estatísticas comerciais do mês passado mostraram que a balança comercial, que é exportação menos importação, estava no vermelho por mais de 2,8 bilhões de ienes, o maior déficit comercial registrado em apenas um mês.


Isto foi devido a um aumento dos preços do petróleo e um enfraquecimento do iene, o que fez com que as importações inchassem.


De acordo com as estatísticas comerciais divulgadas no mês passado pelo Ministério da Fazenda, a balança comercial, que subtrai as importações das exportações, apresentou um déficit de ¥ 2,8 bilhões.


Este é o 13º mês consecutivo de déficit comercial e o maior déficit mensal registrado desde 1979, quando as comparações foram feitas.


As principais razões para o déficit foram um grande aumento no valor das importações devido ao aumento dos preços do petróleo e de outros produtos energéticos, bem como a depreciação do iene nos mercados de câmbio, o que aumentou o valor das importações.


O valor das importações foi de 10,8 bilhões de ienes, 49,9% superior ao do mesmo mês do ano passado e o maior de todos os tempos.


O valor de importação dos recursos energéticos foi aproximadamente 1,9 vezes maior para o petróleo bruto e 2,4 vezes maior para o gás natural liquefeito.


Por outro lado, as exportações totalizaram 8,06 bilhões de ienes, 22,1% a mais do que no mesmo mês do ano passado.


Embora as exportações de veículos automotores, óleo diesel e equipamentos de fabricação de semicondutores tenham aumentado, elas foram menores que o crescimento das importações, resultando em um déficit comercial maior.


O déficit comercial continua a ser maior do que no ano anterior, devido ao aumento contínuo dos preços dos recursos como resultado da invasão russa da Ucrânia, bem como aos preços mais altos das importações de cereais e outras commodities.