1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

ANA inicia atividades com o app "CommonPass" para testar viajantes


JAPÃO - Na segunda-feira, a All Nippon Airways Co. conduziu o primeiro teste do aplicativo "CommonPass" no Japão, indicando o status COVID-19 de um viajante no aeroporto de Haneda, em Tóquio, como parte dos esforços da indústria global de viagens para tornar as viagens internacionais mais fáceis e seguras.


O aplicativo, um dos vários passaportes de saúde digitais testados em todo o mundo para permitir que companhias aéreas e autoridades agilizem os procedimentos de imigração em aeroportos, é apoiado pelo Fórum Econômico Mundial. Ele certifica os resultados dos testes de coronavírus e o status de vacinação.


A Commons Project Foundation, desenvolvedora do CommonPass, disse que pretende lançar a plataforma digital em países do mundo todo para "um modelo mais confiável para validar o estado de saúde dos viajantes que chegam", já que os resultados dos testes de vírus são geralmente apresentados na forma de documentação em papel com nenhum formato padrão global.


O aplicativo não revelará nenhuma outra informação pessoal de saúde subjacente, de acordo com a ANA e a fundação.


No aeroporto de Haneda, em Tóquio, os funcionários da ANA checaram o smartphone de um passageiro para confirmar os resultados negativos do teste de vírus em um balcão de check-in de um voo que partia para Nova York.


"Como o processo correu bem, eu tive mais tempo e energia de sobra", disse Ikuko Osato, uma enfermeira de 44 anos da província de Fukushima que participou do teste como voluntária.


Comentando sobre o projeto, Juichi Hirasawa, vice-presidente sênior de planejamento corporativo da ANA, disse: "Estamos constantemente procurando maneiras de tornar a experiência de viagem mais segura e conveniente."


"Nossos testes do aplicativo CommonPass Health nos ajudarão a garantir que esses procedimentos nos permitam simplificar as viagens internacionais e, ao mesmo tempo, proteger a privacidade dos passageiros", disse Hirasawa.