1/3

Aos 87 anos, ex-imperatriz Michiko diz que sentirá falta de sua neta


JAPÃO - A ex-imperatriz Michiko disse que sentirá falta de sua primeira neta, a Princesa Mako, que deve deixar a casa imperial após o casamento marcado para a próxima semana, segundo a Agência Imperial por ocasião de seu aniversário de 87 anos.


Também expressou seus pensamentos sobre as áreas que foram devastadas pelo terremoto e tsunami de março de 2011 no nordeste do Japão e a subsequente crise nuclear de Fukushima, já que este ano marcou o 10º aniversário do desastre.


Enquanto isso, ela expressou sua simpatia pelas pessoas afetadas pela forte chuva que atingiu grandes áreas do Japão neste verão e provocou um deslizamento de terra fatal em Atami, a sudoeste de Tóquio.


A Princesa Mako, filha mais velha do príncipe herdeiro Fumihito e sobrinha do imperador Naruhito, deve se casar com seu namorado, Kei Komuro, em 26 de outubro, apesar da preocupação pública com uma disputa financeira envolvendo a mãe de seu futuro marido.


Acredita-se que a princesa, que perderá seu status real após se casar com seu namorado comum, está começando uma nova vida com Komuro nos EUA, onde atualmente trabalha em um escritório de advocacia.


Durantes os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, a ex-imperatriz relembrou com carinho os jogos anteriores sediados na capital japonesa em 1964 e ficou impressionada com o desenvolvimento dos esportes para pessoas com deficiência.


Seu marido, o ex-imperador Akihito, de 87 anos, serviu como patrono honorário das Paraolimpíadas de Tóquio de 1964, quando era príncipe herdeiro.


Embora a ex-imperatriz tenha se submetido com sucesso a cirurgias de catarata e câncer de mama em 2019, ela costuma sentir febre leve à tarde desde maio do ano passado.


Embora ela também tenha se queixado de rigidez nos dedos, possivelmente um efeito do tratamento hormonal após sua cirurgia de câncer de mama, ela tem conseguido tocar piano nos últimos dias.


Michiko mantém sua rotina diária de ler um livro em voz alta pela manhã após o café da manhã com Akihito, que deixou o Trono do Crisântemo em 30 de abril de 2019.


O ex-imperador se tornou o primeiro monarca japonês a abdicar em cerca de dois séculos, encerrando a Era Heisei de 30 anos. Seu filho mais velho, o imperador Naruhito, de 61 anos, subiu ao trono, dando início a era Reiwa.