1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Após anos de ações e recorrências na justiça reconhece curdo turco como refugiado


HOKKAIDO - A Rede de Advogados do Japão para refugiados disse que o tribunal reconheceu um curdo turco como refugiado pela primeira vez.


O Departamento regional de Serviços de Imigração de Sapporo concedeu ao homem de 30 anos o status em 28 de julho depois que um tribunal de apelações decidiu em maio que ele estaria em risco de perseguição se voltasse para a Turquia.


"Parecia que eu tinha esgotado quase toda a minha força nesta longa luta. Espero que essa justiça que foi realizada dê esperança aos outros", disse o curdo em um comentário lido por seu advogado a repórteres.


O advogado, Koji Yamada, disse: "É um passo extremamente grande" para um país que tem pouco histórico em reconhecer refugiados.


O cidadão turco entrou no Japão em 2014 e solicitou o status de refugiado, mas foi rejeitado em 2018. Ele entrou com uma ação em 2019 pedindo a revogação da decisão, que acabou sendo decidida a seu favor pelo Supremo Tribunal de Sapporo após ser rejeitada por um tribunal inferior.


Na decisão, a alta corte disse que havia "circunstâncias objetivas que levariam a um medo de perseguição" e reconheceu o homem como um refugiado com base no fato de ter sido torturado pelos militares por fornecer comida a membros de um grupo de independência curdo na Turquia.


Os curdos no país foram submetidos a uma política há mais de um século e enfrentaram repressão política, inclusive sendo proibidos até de usar a língua curda.


De acordo com o grupo de advogados, embora este seja o primeiro caso de um curdo turco recebendo status de refugiado, houve casos de curdos iranianos e sírios sendo reconhecidos como refugiados no Japão.


Em 2021, concedeu status de refugiado a 74 pessoas, o maior número desde que começou a reconhecer refugiados em 1982, segundo dados do governo.