1/3

Atleta georgiano, preso por agredir funcionário em Tóquio, é excluído dos jogos


JAPÃO - Um medalhista paraolímpico da Geórgia foi expulso dos Jogos de Tóquio depois de ser preso no início desta semana por agredir um segurança de um hotel, disse o comitê organizador na sexta-feira.


Zviad Gogotchuri, medalhista de ouro na categoria dos 90 quilos no judô masculino no evento anterior, foi preso pela polícia japonesa na segunda-feira.


O judoca de 34 anos estava escalado para competir na categoria 100 kg do esporte nas Paraolimpíadas a partir de terça-feira. Ele é acusado de quebrar uma costela do segurança, um homem de 60 anos, na manhã de 12 de agosto, quando pulou em cima dele e agarrou seu pescoço.


O incidente aconteceu depois que um outro segurança alertou Gogotchuri e vários outros atletas georgianos sobre a quantidade de barulho que eles estavam fazendo enquanto bebiam no corredor do sexto andar do hotel de Tóquio, segundo a polícia.


Gogotchuri estava em quarentena no hotel depois que um membro da equipe do país testou positivo para COVID-19, de acordo com a polícia.


O comitê organizador disse que também proibiu um dos atletas georgianos, que estava bebendo com Gogotchuri, de treinar por três dias como punição.


O comitê disse que deu à seleção nacional de 15 membros da Geórgia que estava hospedada no hotel e ao seu comitê paraolímpico um severo aviso sobre sua conduta.


Durante as Olimpíadas de Tóquio, que terminaram em 8 de agosto, dois judocas do sexo masculino, também da Geórgia, perderam o credenciamento por deixarem a vila dos atletas para fazer turismo, violando os protocolos.