1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Autor do crime em frente a universidade portava gasolina, diz fonte investigativa


JAPÃO - Um homem de 17 anos preso recentemente por um ataque com faca em frente a Universidade de Tóquio tinha pelo menos quatro litros de líquido inflamável com ele, disseram fontes investigativas na terça-feira.


Na manhã de sábado, dois estudantes do ensino médio e um homem de 72 anos foram esfaqueados nas costas em frente a um portão do campus principal da universidade, enquanto muitas pessoas estavam chegando para os exames de admissão em universidades nacionais.


Embora os ferimentos sofridos pelos estudantes não representassem risco de vida, o homem mais velho ficou gravemente ferido. A polícia prendeu o adolescente por suspeita de tentativa de homicídio.


Incêndios suspeitos foram detectados em nada menos que oito locais dentro da estação de metrô Todaimae, perto da cena do crime, segundo as fontes.


O suspeito também foi citado dizendo aos investigadores que ele tentou, sem sucesso, incendiar uma mochila que havia sido umedecida com um líquido em um trem em movimento, disseram as fontes.


A polícia encontrou a mochila no chão de um vagão junto com duas garrafas plásticas contendo líquido inflamável e cercadas por uma poça de líquido.


A polícia suspeita que o adolescente tenha preparado o líquido para iniciar um incêndio no trem e está investigando como ele o obteve.


O esfaqueamento é o mais recente de uma série de ataques que visavam pessoas aleatórias em público.


Um caso de incêndio criminoso em uma clínica de saúde mental em Osaka em meados de dezembro matou 25 pessoas. Em outubro, um homem vestido como o vilão do Batman, o Coringa, atacou passageiros de um trem com uma faca, ferindo 17 pessoas.


No caso mais recente, o agressor, cujo nome é omitido por ser menor de idade, é um estudante do segundo ano de uma escola particular de Nagoya. Ele esperava frequentar a Universidade de Tóquio, a escola de maior prestígio no Japão, para se tornar médico, mas ultimamente estava lutando com as notas baixas, disse a polícia.


"Eu não estava indo bem nos meus estudos, então queria causar um incidente e morrer", disse ele.


O ataque ocorreu no primeiro dia de dois dias de exames de admissão à universidade que foram realizados por mais de 530.000 candidatos em todo o país.


Os dois estudantes do ensino médio visitaram a universidade para fazer os exames da vizinha província de Chiba. O agressor não conhecia os três, disse a polícia.


Os exames padronizados de admissão à universidade são realizados anualmente usando os mesmos exames para todas as universidades participantes. Muitas universidades públicas também usam exames específicos da universidade para tomar decisões de admissão.