1/3

Autoridades estrangeiras nos Jogos de Tóquio podem ser reduzidas em mais 25 mil


JAPÃO - O comitê organizador disse na sexta-feira que espera reduzir ainda mais o número de oficiais e funcionários residentes no exterior com permissão para comparecer para cerca de 53.000, abaixo do número anteriormente reduzido de cerca de 78.000 e menos de um terço do número inicial.


O comitê organizador esperava que um total de cerca de 180.000 funcionários, incluindo a mídia, viajassem do exterior antes do adiamento, mas decidiu reduzir o número em uma ação para tornar os jogos mais seguros.


Hidemasa Nakamura, chefe do principal centro de operação dos jogos, disse em entrevista coletiva que os organizadores conseguiram reduzir o número dos chamados membros da família olímpica, referindo-se a funcionários do Comitê Olímpico Internacional, a Agência Mundial Antidoping entre outras.


O número de funcionários anfitriões e estrangeiros pode cair ainda mais com a aproximação dos jogos em apenas cerca de um mês, disse Nakamura, após manter discussões com um painel de especialistas em doenças infecciosas.


Mais de 100 profissionais da área médica do exterior também se ofereceram para serem voluntários nos jogos, e o comitê está considerando onde colocá-los e quando trazê-los, disse Nakamura.


No mês passado, o presidente do COI, Thomas Bach, disse que equipes médicas extras do exterior seriam enviadas pelos comitês olímpicos nacionais durante os jogos para auxiliar nas operações e na implementação de contra-medidas contra a pandemia nas aldeias e instalações dos atletas.


Embora a possibilidade de que as Olimpíadas aumentem a pressão sobre o sistema médico do Japão seja uma grande preocupação pública, o comitê também garantiu cerca de 90% dos médicos e 80% das enfermeiras necessários para trabalhar nos jogos.


As Olimpíadas, que começam no dia 23 de julho, serão realizadas sem espectadores do exterior como parte das medidas para prevenir a propagação de infecções. O comitê organizador tem mantido mesas-redondas para revisar suas contra-medidas contra o coronavírus.