1/3

Banco Evergrande promete fazer pagamento de cupom de títulos até 23 de setembro


CHINA - A principal unidade do Grupo Evergrande da China disse na quarta-feira que fará o pagamento do cupom dos títulos com vencimento na quinta-feira, em meio a temores de que a empresa logo entre em default.


Os participantes do mercado financeiro ficaram preocupados que uma possível falência da Evergrande, cujo passivo aumentou para cerca de 2 trilhões de yuans (US$ 309 bilhões), poderia causar outra crise financeira global como a de 2008.


Mas ainda não está claro se a empresa chinesa, dona de um clube de futebol popular no país, pode evitar completamente o risco de inadimplência, já que deve continuar a pagar os juros de outros títulos na quinta-feira passada, disseram fontes próximas ao assunto.


Com a crescente preocupação com o potencial ressurgimento da crise financeira global de 2008, desencadeada pelo colapso da corretora de valores americana Lehman Brothers, um grande número de investidores recentemente tem estado ansioso para reduzir suas participações em ações em todo o mundo.


A principal unidade da Evergrande disse que precisa pagar um cupom de 232 milhões de yuans em títulos até quinta-feira.


A incorporadora imobiliária está ansiosa para expandir seus negócios, enquanto o mercado imobiliário na China está encolhendo em meio à prolongada disputa comercial do país com os Estados Unidos e o novo surto de coronavírus.


Evergrande também se envolveu em muitos negócios, incluindo o desenvolvimento de veículos elétricos, que inflou sua dívida. A empresa considerou vender seu negócio de EV, mas tal negócio ainda não se concretizou.


Evergrande, por sua vez, sofreu o impacto da recente política governamental destinada a evitar que os preços dos imóveis subissem acentuadamente. A empresa reconheceu que seus negócios imobiliários tornaram-se lentos desde o início de setembro.


A Evergrande foi fundada na província meridional de Guangdong em 1996 pelo bilionário Xu Jiayin, e agora está sediada em Shenzhen, uma zona econômica especial da província.


As vendas da empresa, listada na Bolsa de Valores de Hong Kong desde 2009, alcançaram 507,2 bilhões de yuans em 2020. É a 122ª entre 500 empresas globais classificadas pela revista americana de negócios Fortune.