1/3

Barco afundado é finalmente encontrado


HOKKAIDO - Um barco turístico que desapareceu há seis dias em Hokkaido foi encontrado debaixo d'água na sexta-feira, informou a Guarda Costeira do Japão, já que 12 das 26 pessoas a bordo permaneceram desaparecidas.


A guarda costeira procurará dentro do barco na crença de que alguns dos desaparecidos estavam presos, enquanto o governo expressou esperança de que a embarcação será resgatada com seu operador suportando os custos.


O Kazu I de 19 toneladas foi localizado depois que a Força Marítima de Autodefesa realizou uma busca com uma câmera subaquática na Península de Shiretoko.


O barco foi encontrado a uma profundidade de cerca de 120 metros perto de Kashuni Falls, um local turístico popular perto da ponta da península, de onde emitiu um pedido de socorro.


A câmera capturou o nome do barco escrito na proa. A embarcação foi encontrada no fundo do mar onde a luz solar não chega e a visibilidade é ruim. As autoridades continuarão a investigar com veículos não tripulados.


Salvar naufrágios é tipicamente caro e os proprietários não são responsáveis.


Mas um alto funcionário do Ministério dos Transportes que visitou o local disse a repórteres que o governo espera que o operador Kazu I "faça isso com responsabilidade".


O operador, Shiretoko Yuransen, disse que fará o que puder, de acordo com o ministério.


Também na sexta-feira, um oficial da Guarda Costeira disse que a agência russa de segurança de fronteira notificou-a de avistar uma pessoa à deriva quarta-feira na água com um colete salva-vidas a oeste da ilha Kunashiri, ao largo de Hokkaido.


As autoridades russas disseram que não conseguiram montar um resgate e perderam de vista a pessoa devido ao tempo tempestuoso, de acordo com o oficial japonês.


Kunashiri é uma das várias ilhas disputadas ao norte da ilha principal do Japão, Hokkaido, que são coletivamente chamadas de Territórios do Norte por Tóquio e os Curils do Sul por Moscou.


O Kazu I estava navegando apesar das previsões meteorológicas ruins e avisos. A Península de Shiretoko foi designada como patrimônio natural mundial em 2005.