1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Casos de Omicron foram confirmados em quase toda a metade do país


TÓQUIO - Infecções com a variante Omicron do coronavírus foram relatadas em 22 das 47 prefeituras no Japão, segundo uma contagem baseada em relatórios do governo local mostrou quinta-feira, um mês após o primeiro caso doméstico ter sido confirmado.


Cerca de 500 pessoas foram infectadas com a cepa no país, de acordo com os relatórios. O desenvolvimento alimentou a preocupação sobre um potencial ressurgimento de infecções por COVID-19 durante e após o final do ano e o período de férias de Ano Novo e seu impacto no sistema médico, além de sua alta atuação no inverno.


A maioria dos casos de Omicron foi detectada em quarentena. Mas a disseminação da variante pela comunidade também foi relatada em áreas urbanas, incluindo Tóquio e Osaka.


O primeiro-ministro Fumio Kishida pediu ao público no mesmo dia que tomasse precauções extras para evitar a propagação da doença, uma vez que as pessoas começaram a viajar pelo Japão para o período de férias.


"Como a disseminação da variante Omicron pela comunidade foi confirmada, eu tenho que pedir a você que seja mais cauteloso do que o normal para prevenir o ressurgimento de infecções", disse Kishida em um vídeo postado no Twitter.


Ele pediu que as pessoas considerassem com cautela se deveriam retornar às suas cidades natais durante o período. No caso de viagens, ele pediu medidas minuciosas, como usar máscaras, lavar as mãos e evitar os "três Cs" - espaços fechados, multidões e ambientes de contato próximo.


Quanto aos que davam festas, Kishida pediu que o fizessem em pequenos grupos e em restaurantes com certificados para tomar medidas de prevenção.


Os casos diários de COVID-19 no Japão têm diminuído desde que atingiu um pico de mais de 25.000 no verão passado, com mais de 75% da população inoculada com duas vacinas.


Mas a preocupação permanece com um possível ressurgimento durante o inverno. Na quarta-feira, a contagem nacional era de 502 casos, ultrapassando 500 pela primeira vez em mais de dois meses.


Para viagens internacionais, o governo japonês implementou controles rígidos de fronteira em 30 de novembro, proibindo a entrada de estrangeiros não residentes e reforçando as medidas de quarentena para cidadãos japoneses e residentes estrangeiros que estiveram recentemente em determinados países ou regiões.


Kishida disse que vai decidir se relaxa as medidas de fiscalização na fronteira de acordo com a situação da infecção no final do ano e no período do Ano Novo.