1/3

Cerimônia de 50 anos da "devolução" será celebrada em Tóquio e Okinawa


JAPÃO - O Japão realizará cerimônias em Tóquio e Okinawa para lembrar os 50 anos da devolução das terras okinawanas ao ao país.


As cerimônias, que serão realizadas conjuntamente, ocorrem em 15 de maio, dia em que a prefeitura voltou ao domínio japonês há 50 anos, embora grande parte de suas terras ainda esteja ocupada por bases militares americanas.


O casal imperial participarão das cerimônias online, enquanto o primeiro-ministro Fumio Kishida, vai presencialmente em Okinawa.


"É importante que toda a nação se lembre do significado histórico da reversão, olhe para a história de Okinawa e ore por seu desenvolvimento neste marco significativo", disse o secretário-chefe do gabinete, Hirokazu Matsuno, em entrevista coletiva em Tóquio.


Okinawa permaneceu sob o domínio dos EUA até 1972, mesmo depois que o Japão recuperou a soberania em 1952, após sua derrota na Segunda Guerra Mundial.


Após a batalha no local, as Forças Armadas dos Estados Unidos ocuparam Okinawa e estabeleceram um governo local. Em 1952, o Japão assinou o Tratado de San Francisco e Okinawa ficou sob domínio americano por 20 anos.


A USCAR foi uma organização subordinada aos militares estadunidenses, vigiadas pelo governo local das Ilhas Ryukyu e podendo anular todas as decisões tomadas pelo Governo de Ryukyu, era uma administração de assuntos civis do Governo Militar dos Estados Unidos. Após a devolução das terras okinawanas ao Japão, esta organização foi extinta.


A província constitui cerca de 0,6% da área total do Japão, mas ainda abriga 70% da área total usada exclusivamente pelas instalações militares dos EUA no Japão, levando a protestos contínuos.


Esta será a primeira vez desde o dia da reversão que as cerimônias serão realizadas ao mesmo tempo em Tóquio e Okinawa. O governo montou uma sede chefiada por Matsuno na terça-feira para realizar as cerimônias, disse ele.


Os locais em um hotel na ala Minato de Tóquio e um centro de convenções em Ginowan em Okinawa serão conectados por vídeo, disse o governo.


A decisão ocorreu quando a prefeitura e a coalizão governista (PLD e Komeito) pediram ao governo que realizasse uma cerimônia não apenas na prefeitura, mas também na capital para marcar o meio século desde a reversão.


Enquanto isso, o governo disse que emitirá moedas de ouro de 10.000 ienes e moedas de prata de 1000 ienes para comemorar o aniversário.


Ambas as moedas terão imagens do Castelo de Shuri, um símbolo de Okinawa localizado em um Patrimônio Mundial da UNESCO, e apresentarão a tradicional técnica de tingimento de resistência da prefeitura.


As moedas de ouro e prata custam 153.500 ienes e 11.700 ienes, respectivamente. O ministério emitirá 20.000 moedas de ouro e 50.000 moedas de prata, disse.