1/3

Chefes de defesa do Japão e Indonésia se opõem a movimentos assertivos da China


JAPÃO - Os ministros da Defesa do Japão e da Indonésia concordaram no domingo em enviar mensagens ao resto do mundo de que os dois países se oporão fortemente a qualquer ação da China que possa aumentar as tensões em águas regionais.


O ministro da Defesa, Nobuo Kishi, também disse a repórteres depois de manter conversas com seu homólogo indonésio Prabowo Subianto em Tóquio que eles vão pedir à China que se abstenha de tentar mudar unilateralmente o status quo nos mares do Sul e Leste da China.


Embora expressando preocupação com a introdução de uma lei pela China que permite que sua guarda costeira atire em navios que invadem o que considera suas águas, Kishi disse que concordou em aumentar a cooperação de defesa e realizar um exercício conjunto das forças japonesas e indonésias no Mar do Sul da China.


Sobre a situação de Mianmar, Kishi disse que concordaram em trabalhar de perto para a restauração antecipada de um governo democrático.


Os ministros das Relações Exteriores e da Defesa do Japão e da Indonésia devem se reunir na terça-feira em Tóquio. As chamadas negociações dois mais dois serão as segundas do gênero desde dezembro de 2015.