1/3

Cineasta japonês é premiado pelo Festival Internacional de Cinema de Berlim


JAPÃO - O cineasta japonês Ryusuke Hamaguchi expressou surpresa no sábado que seu filme de pequena escala foi reconhecido por um evento de prestígio como o Festival Internacional de Cinema de Berlim, no qual foi nomeado o segundo colocado do grande júri.


"Eu nunca poderia imaginar que o filme concluído por uma equipe tão pequena em meio à pandemia do coronavírus ganharia um prêmio em um grande festival de cinema como o Berlinale", disse o homem de 42 anos durante uma entrevista coletiva online em Tóquio.


"Guzen to sozo" (Roda da Fortuna e Fantasia), premiado com o Grande Prêmio do Júri Urso de Prata na 71ª edição do festival na sexta-feira, é uma coleção de três contos sobre o acaso e coincidência, cada um girando em torno de uma mulher diferente.


Os dramas baseados em diálogos, escritos por Hamaguchi, retratam as suspeitas e impulsos no coração dos personagens após eventos acidentais. A data de lançamento do filme no Japão ainda não foi decidida.


Os três episódios farão parte de uma série de sete. Quanto aos quatro episódios restantes, o diretor disse: "Como os contos podem ser experimentais, vou desenvolver reviravoltas e tramas que refletem o que queremos experimentar."


A Berlinale foi realizada de segunda a sexta-feira como um festival virtual devido à nova pandemia de coronavírus. O Especial de Verão do festival, a decorrer em junho, permitirá ao grande público ver os filmes selecionados na presença dos realizadores.


Hamaguchi é o primeiro vencedor japonês desde 2014, quando Haru Kuroki ganhou o Urso de Prata de Melhor Atriz no filme "Chiisai Ouchi" (A Casinha).


Seu filme de destaque em 2015, "Happy Hour", que estreou no Festival de Cinema de Locarno, ganhou prêmios em vários festivais de cinema.


O Urso de Ouro de Melhor Filme deste ano foi concedido a "Bad Luck Banging or Loony Porn" pelo diretor e roteirista romeno Radu Jude.