1/3

Comitê Olímpico Japonês trabalha para combater ataque de haters contra atletas na internet


JAPÃO - Se realizado, será a primeira vez que o Comitê Olímpico Japonês criou uma unidade desse tipo para os atletas.


A equipe prevista deve consultar as autoridades investigativas se descobrir que os comentários online são especialmente maliciosos, de acordo com o funcionário, que não quis ser identificado, pois o anúncio formal ainda não foi feito.


Para as Olimpíadas, que começam no dia 23 de julho, o JOC planeja ter cerca de 580 atletas japoneses, o maior número de todos os tempos.


A publicação de posts hostis e difamatórias direcionadas a um indivíduo nas redes sociais se tornou um grande problema social no Japão e em outros lugares nos últimos anos. No ano passado, Hana Kimura, uma lutadora profissional japonesa que fazia parte do elenco do "Terrace House", se matou em seu apartamento após ser alvo de haters no twitter.


A estrela da natação japonesa Rikako Ikee, que nesta primavera reservou uma vaga nas Olimpíadas após lutar contra a leucemia, revelou no início de maio que recebeu mensagens em suas contas de mídia social dizendo-lhe para desistir dos jogos.


"É muito doloroso para um atleta individual ser atingido por isso (uma espécie de mensagem anti-olímpica)", disse ela no Twitter.


Em entrevista coletiva na segunda-feira, o presidente do JOC, Yasuhiro Yamashita, pediu ao povo japonês que não critique os atletas por escolherem competir nas Olimpíadas.