1/3

Comitê Organizador estima corte de 30 bilhões para os Jogos Olímpicos


TÓQUIO - O Comitê Organizador das olimpíadas relataram ao COI na quarta-feira que seu plano de simplificação para os jogos adiados do próximo ano economizará cerca de 30 bilhões de ienes.


Os organizadores estão se esforçando para cortar custos a fim de obter a compreensão do público para a realização das Olimpíadas. Eles fizeram sua apresentação em uma reunião online do conselho executivo do COI.


A nova pandemia de coronavírus forçou o adiamento de um ano e continua sendo uma ameaça, enquanto a realização dos jogos em 2021 significa custos adicionais projetados de várias centenas de bilhões de ienes.


"Acho que fizemos um esforço incrível para cortar custos", disse o presidente do Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio, Yoshiro Mori, em uma entrevista coletiva após a reunião do conselho. "Se pudermos deixar um legado positivo para futuros anfitriões, não haverá nada melhor do que isso."


Em 25 de setembro, o comitê organizador de Tóquio concordou com o COI em 52 itens a serem simplificados. Isso inclui cerimônias de boas-vindas, revisão do número de veículos usados ​​para o revezamento da tocha e redução de despesas com alimentos, bebidas e transporte.


A maior economia planejada é reduzir os espaços de operações temporárias e a iluminação dos locais. Os organizadores disseram que isso resultará em uma economia de cerca de 15 bilhões de ienes.


Reduzir a decoração dos locais e da vila dos atletas em 30 a 40 por cento reduzirá 1 bilhão de ienes, enquanto as reduções de pessoal e veículos para o revezamento da tocha de 121 dias devem economizar 800 milhões de ienes.


Cortar o número de participantes não atletas - originalmente estabelecido em torno de 50.000 - em 10 a 15 por cento e despesas relacionadas para eles resultará em uma economia estimada de 1 bilhão de ienes.


Outra economia de 3 bilhões de ienes poderia vir da simplificação do plano de pessoal do comitê organizador, disseram os organizadores.


"É um resultado significativo considerando as circunstâncias", disse o presidente do COI, Thomas Bach, após a reunião do conselho. "É preciso perceber que a maior parte das despesas já foram feitas antes, porque todos estavam se preparando para os jogos que acontecem este ano."


Antes do adiamento em março, o custo geral das Olimpíadas de Tóquio era de 1,35 trilhão de ienes.


"Nossas revisões obtiveram resultados positivos nos cortes de 30 bilhões de ienes, mas continuaremos a empurrar ainda mais", disse o CEO do comitê organizador, Toshiro Muto, que não deu uma estimativa quanto às possíveis economias adicionais.

“Precisamos fazer dessas Olimpíadas, as primeiras depois do coronavírus, um evento que conquistará o reconhecimento mundial”.


Daqui para frente, os organizadores pretendem traçar um novo orçamento até o final do ano que incluirá as despesas necessárias para as contra-medidas do coronavírus. O comitê organizador também discutirá como dividir os custos com o governo nacional e com o governo metropolitano de Tóquio.