1/3

Compradores de condomínios na Vila Olímpica acionam justiça por atraso na entrega


JAPÃO - Um grupo de pessoas que comprou condomínios na vila olímpica levou os desenvolvedores ao tribunal, dizendo que eles incorreriam em custos adicionais devido ao possível atraso de um ano na entrega das propriedades.


Na ação movida no Tribunal Distrital de Tóquio na sexta-feira, os 29 autores estão exigindo que a Mitsui Fudosan e as outras incorporadoras dos condomínios entreguem as propriedades até março de 2023, conforme estipulado em seus contratos, ou paguem a elas um total de 80 milhões de ienes, como indenização.


As propriedades fazem parte do complexo Harumi Flag que está sendo desenvolvido em uma ilha artificial na Baía de Tóquio. Com mais de 20 prédios de apartamentos, um centro comercial e escolas, espera-se que o local recuperado de 13 hectares se torne uma nova cidade com uma população de 12.000 habitantes.


Os autores da ação compraram os condomínios em 2019, quando foram colocadas à venda 940 unidades. Eles deveriam se mudar para suas novas casas no final de março de 2023, depois que os desenvolvedores concluíram a reforma da vila dos atletas após os Jogos de Tóquio em 2020.


Mas a pandemia forçou um adiamento de um ano dos jogos e os desenvolvedores subsequentemente decidiram adiar a entrega das unidades, possivelmente por cerca de um ano. Um atraso deixaria os compradores responsáveis ​​por aluguel adicional.


"Estou ansioso para me mudar para o condomínio", disse um dos reclamantes, um homem na casa dos 50 anos, em uma entrevista coletiva após entrar com o processo. "Quero que os desenvolvedores façam o possível para acelerar a transferência, mesmo em um mês."


A Mitsui não quis comentar o processo, dizendo que a grande incorporadora ainda não havia recebido uma reclamação legal e, portanto, não poderia verificar os fatos.


O Harumi Flag está localizado a 2,5 km do bairro comercial de Ginza e a 3,3 km da Estação de Tóquio. Seus condomínios são populares, com 631 unidades colocadas à venda em novembro, atraindo mais de 5.500 inscrições.