1/3

Coreia do Norte dispara míssil balístico em direção ao Mar do Japão


JAPÃO - A Coreia do Norte disparou um míssil balístico em direção ao Mar do Japão, disse o governo japonês neste domingo, o mais recente de uma série de lançamentos de mísseis este ano.


Acredita-se que o míssil tenha caído fora da zona econômica exclusiva do Japão depois de voar cerca de 300 quilômetros e atingir uma altitude de cerca de 600 quilômetros, disse o ministro da Defesa, Nobuo Kishi, a repórteres em Tóquio, acrescentando que nenhum dano foi relatado.


O governo japonês apresentou um protesto à Coreia do Norte por meio da Embaixada do Japão em Pequim, disse Kishi.


"Nós nunca podemos aceitar (a Coreia do Norte) atravessar a brecha para realizar um lançamento enquanto a comunidade internacional responde à agressão da Rússia contra a Ucrânia", disse Kishi.


Takehiro Funakoshi, diretor geral do Escritório de Assuntos da Ásia e Oceania do Ministério das Relações Exteriores do Japão, e Sung Kim, representante especial dos EUA para a Coreia do Norte, conversaram por telefone e confirmaram que os dois países e a Coreia do Sul se coordenarão para resolver os problemas nucleares e de mísseis norte-coreanos.


O Comando Indo-Pacífico dos militares dos EUA condenou o lançamento do míssil e pediu à Coreia do Norte que "se abstenha de mais atos desestabilizadores".


O comando disse em comunicado que continuará monitorando a situação e que o compromisso dos EUA com a defesa dos aliados Japão e Coreia do Sul "continua firme".


O ministro das Relações Exteriores, Yoshimasa Hayashi, disse separadamente em um programa de televisão: "Renovamos nossa intenção de estar bem preparados".


Mas, embora tenha dito que o impacto da invasão russa de seu vizinho "não se limitará à Europa e pode afetar o leste da Ásia", ele disse que o governo ainda precisa analisar se há uma conexão entre o último lançamento de míssil e a crise na Ucrânia.


A Coreia do Norte está proibida de disparar mísseis balísticos sob as resoluções do Conselho de Segurança da ONU que impuseram sanções à nação.


Na Coreia do Sul, funcionários do governo realizaram uma reunião do Conselho de Segurança Nacional e expressaram "profundo arrependimento" pelo lançamento do míssil balístico.


O Estado-Maior Conjunto do país disse que o míssil foi lançado de uma área perto de Sunan, em Pyongyang, por volta das 7h52, em direção ao Mar do Japão.


O lançamento marca a oitava rodada de testes de mísseis de Pyongyang desde o início de 2022. O lançamento anterior foi em 30 de janeiro.


O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, instruiu seu governo a fornecer informações precisas ao público, confirmar a segurança de navios e aeronaves e responder a situações imprevistas.


Em 30 de janeiro, a Coreia do Norte testou um míssil balístico de alcance intermediário. Acredita-se que seja o primeiro lançamento de um míssil desse tipo desde novembro de 2017.


O lançamento de 30 de janeiro ocorreu depois que Pyongyang deu a entender que retomaria os testes de mísseis balísticos nucleares e intercontinentais, dizendo que pode reiniciar todas as "atividades" que suspendeu temporariamente para construir confiança com os Estados Unidos.