1665608300863.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

1665857330426.png
1665857427662.png

1/4
Buscar

Coreia do Norte dispara mais dois mísseis balísticos


JAPÃO - A Coreia do Norte disparou mais dois mísseis balísticos de curto alcance ao largo de sua costa leste, de acordo com autoridades japonesas e sul-coreanas.


Os mísseis parecem ter caído fora da zona econômica exclusiva do Japão, e não há relatos de danos causados por eles, disse o governo japonês.


Os projéteis voaram em trajetórias irregulares, com o primeiro viajando cerca de 350 quilômetros e o segundo voando em 300, disse Toshiro Ino, vice-ministro da Defesa do Japão, a repórteres. Ambos atingiram uma altitude de cerca de 50 km.


"Uma série de ações da Coreia do Norte, incluindo repetidos lançamentos de mísseis balísticos, ameaçam a paz e a segurança de nossa nação, da região circundante e da comunidade internacional", disse Ino, acrescentando que o Japão apresentou um protesto ao país através da Embaixada do Japão em Pequim.


Um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA também condenou os lançamentos de mísseis balísticos da Coreia do Norte, chamando-os de violação de múltiplas resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e dizendo que eles representam "uma ameaça" para os países vizinhos.


O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul disse que a Coreia do Norte disparou os dois mísseis balísticos de curto alcance entre 18h10 e 18h20 da área sunan de Pyongyang.


A Coreia do Norte tem realizado repetidamente testes de mísseis balísticos desde o início deste ano.


No domingo, disparou um míssil balístico de curto alcance em direção ao Mar do Japão poucos dias depois que um porta-aviões dos EUA chegou à Coreia do Sul para os exercícios conjuntos realizados pela primeira vez em cerca de cinco anos.


Os últimos lançamentos de mísseis vieram quando um funcionário da Casa Branca disse que a vice-presidente dos EUA, Kamala Harris viajará para a Zona Desmilitarizada na fronteira das duas Coreias para mostrar o compromisso de sua nação com a defesa de Seul.


O porta-voz do Departamento de Estado Americano reiterou que o compromisso do país com a defesa da Coreia do Sul e do Japão permanece "irrefutável", ao mesmo tempo em que observa que Washington adere a uma "abordagem diplomática" à Coreia do Norte e busca dialogar.