1/3

Crescimento do número de vacinados faz com que PIB da APEC eleve para 6,3%


JAPÃO - O produto interno bruto combinado das 21 economias membros da Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico deve crescer 6,3 por cento este ano, virando de um declínio de 1,9 por cento em 2020 conforme eles reabrem gradualmente enquanto as vacinas COVID-19 aumentam o otimismo, segundo um relatório da APEC.


A Unidade de Apoio a Políticas da organização disse que o PIB é impulsionado pela "demanda reprimida desencadeada após um ano de gastos moderados", mas citou uma "recuperação desigual" em grande parte devido às "diferenças no acesso e disponibilidade de vacinas" na região.


A unidade prevê que o crescimento da região persistirá em 2022 e 2023, mas em um ritmo mais moderado de 4,4% e 3,4%, respectivamente, de acordo com o relatório.


“A região continua enfrentando incertezas significativas, em grande parte relacionadas à evolução da pandemia, enquanto as perdas de empregos devido à pandemia e às expectativas de inflação mais alta neste ano podem superar os gastos do consumidor”, disse Denis Hew, diretor da unidade.


O relatório disse que a contração de 1,9 por cento no ano passado foi menor do que a queda de 2,7 por cento projetada um ano atrás, conforme as economias membros, como Estados Unidos, China e Japão, intensificaram o estímulo fiscal e as medidas de relaxamento monetário.


O relatório foi publicado antes de uma reunião virtual dos ministros do Comércio da APEC marcada para 5 de junho, onde a resposta à pandemia por meio do comércio deve estar no topo da agenda.


Os ministros provavelmente se concentrarão em maneiras de garantir mercados abertos, permitir a distribuição segura e eficiente de vacinas e orientar a região em direção à recuperação econômica, ao mesmo tempo em que reafirmam seu compromisso com o sistema multilateral de comércio, de acordo com a Secretaria da APEC.


O relatório disse que as compras confirmadas de vacinas variam de 40% da população a quase 800% entre os membros da APEC.


Com uma população de cerca de 125 milhões, o Japão atualmente tem acordos para receber 50 milhões de doses da vacina COVID-19 da Moderna Inc. até setembro, 120 milhões de doses da AstraZeneca Plc e 194 milhões de doses da Pfizer Inc.


A pandemia COVID-19 enfraqueceu o comércio, com países fechando fronteiras, interrupções nas cadeias de abastecimento globais e reduções acentuadas na demanda geral, resultando em uma contração no volume de exportações de mercadorias de 2,6 por cento e importações, 5,7 por cento, no ano passado, o relatório mostrou.


O valor do comércio de mercadorias manteve-se em território negativo em 2020 em relação ao nível de 2019, com as exportações diminuindo 4,7 por cento e as importações 6,3 por cento.


Foi melhor em comparação com o resto do mundo, que registrou uma queda de 10,3 por cento no valor das exportações de mercadorias, enquanto as importações de mercadorias também diminuíram 9,0 por cento.


As 21 economias da APEC são Austrália, Brunei, Canadá, Chile, China, Hong Kong, Indonésia, Japão, Coreia do Sul, Malásia, México, Nova Zelândia, Papua Nova Guiné, Peru, Filipinas, Rússia, Cingapura, Taiwan, Tailândia, o Estados Unidos e Vietnã.