1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Criminalidade no Japão registra queda histórica em meio à pandemia


JAPÃO - O número de crimes registrados no Japão em 2020 atingiu o nível mais baixo na era do pós-guerra pelo sexto ano consecutivo, com um declínio acentuado nos crimes de rua enquanto as pessoas ficavam em casa durante a pandemia de coronavírus, mostraram dados da polícia na quinta-feira.


No entanto, o número de consultas sobre violência doméstica e crimes cibernéticos atingiu níveis recordes, de acordo com dados da Agência Nacional de Polícia.


No geral, houve 614.303 casos de crime no Japão no ano passado, uma queda de 17,9% em relação ao número de 2019 - o ritmo mais rápido de declínio já registrado.


"Mudanças na sociedade, como a disseminação do 'novo normal' (em meio à pandemia), continuarão a impactar a situação futura do crime", disse um funcionário do NPA. “Mas é possível que haja mais vítimas de abuso, violência doméstica e perseguição que permaneçam escondidas, por isso vamos tomar medidas preventivas respondendo prontamente às consultas”.


Os crimes nas ruas, incluindo vandalismo em máquinas de venda automática e casos de roubo e fuga, caíram 27,0% em relação ao ano anterior para 199.282. O declínio foi especialmente notável depois que o primeiro estado de emergência em relação ao vírus foi declarado em abril, com uma queda de 43,2 por cento no ano observada em maio.


Crimes hediondos, incluindo assassinato, caíram 9,7 por cento para 8.934.


O número de consultas sobre violência doméstica aumentou 0,5 por cento em relação ao ano anterior, para um recorde de 82.641, dos quais 8.701 casos foram investigados.


Os casos de crimes cibernéticos aumentaram 4,1 por cento para um recorde de 9.911. O número de tentativas de conexão suspeitas detectadas pela polícia aumentou 55,2 por cento para 6.506,4 em uma média diária por endereço IP em 2020.


O aumento pode ser atribuído a mais pessoas trabalhando remotamente em meio à pandemia e ao aumento do uso de eletrodomésticos e outros dispositivos conectados à internet, de acordo com o NPA.


No ano de referência, a polícia notificou centros de consulta infantil de 106.960 crianças suspeitas de terem sofrido abusos, um aumento de 8,9% em relação a 2019, atingindo o nível mais alto desde que dados comparáveis ​​foram disponibilizados em 2004.


Do total, o abuso verbal e emocional representou cerca de 70 por cento, enquanto o abuso físico ficou em 18 por cento. A polícia investigou um recorde de 2.131 casos de abuso infantil em 2020, um aumento de 8,1%.


Sobre stalking, a polícia recebeu 20.189 consultas em 2020, com o número permanecendo acima de 20.000 todos os anos desde 2013.


Casos de fraude especial, como fraudar idosos fingindo ser seus filhos ou netos e pedir transferências urgentes de dinheiro pelo telefone diminuíram 19,7% para 13.526, com o prejuízo financeiro totalizando 27,78 bilhões de ienes ($ 263,4 milhões), uma queda de 12,0%.


Destes, 55 casos foram relacionados à pandemia de coronavírus, incluindo fraudes relacionadas a subsídios do governo a pessoas atingidas pelo vírus, com o valor total de dinheiro fraudado em cerca de 100 milhões de ienes.


No Japão, os casos de crime atingiram um pico em 2002, quando a polícia registrou 2.853.739 casos.