1/3

"Demon Slayer" ajuda as vendas de impressão no Japão a ver a menor queda desde 2006


JAPÃO - As vendas de livros e revistas impressos no Japão caíram 1,0 por cento em relação ao ano anterior em 2020, o menor declínio desde 2006 graças às vendas de quadrinhos da série de sucesso de mangá "Demon Slayer", disse um órgão de pesquisa de publicações na segunda-feira.


As vendas de publicações impressas totalizaram cerca de 1,22 trilhão de ienes (US$ 11,76 bilhões) no ano passado, queda pelo 16º ano consecutivo, mas o volume final da série de sucesso lançada em dezembro passado amorteceu a queda, de acordo com o Instituto de Pesquisa para Publicações em Tóquio.


Em 2019, as vendas de publicações impressas caíram 4,3% em relação ao ano anterior.


De acordo com a editora Shueisha Inc., 3,95 milhões de cópias foram publicadas da primeira edição do volume 23 de "Demon Slayer", com o número acumulado para todos os volumes incluindo vendas digitais chegando a 120 milhões de cópias em dezembro passado.


Enquanto isso, as vendas de e-books continuaram a crescer, respondendo por 24,3% do mercado total de publicações em 2020, com sua participação ultrapassando 20% pela primeira vez desde que o instituto começou a coletar dados.


As vendas de e-books e livros impressos e revistas totalizaram 1,62 trilhão de ienes no ano passado, um aumento de 4,8% em relação ao ano anterior.


A demanda por material de leitura aumentou no ano passado devido às pessoas passarem mais tempo em casa em meio à pandemia do coronavírus, disse o instituto.