1/3

Deslizamento de terra deixam 2 mortos após chuva no oeste


HIROSHIMA - Um homem e uma mulher foram encontrados mortos depois que um deslizamento de terra atingiu uma área na província de Hiroshima na terça-feira, com fortes chuvas no oeste do Japão, causando também a inundação de um rio e levando as autoridades a convidar mais de 10.000 pessoas a evacuar.


As equipes de resgate receberam uma ligação por volta das 6 horas da manhã de que uma colina atrás de uma casa na cidade de Higashihiroshima havia desmoronado e mais tarde encontrou os dois corpos, que se acredita serem os de Shigemi Kurakane, 55 anos, morador da casa, e seus 84 anos. velha mãe Chiyoko.


"Esperávamos que a chuva ficasse mais pesada, mas lamento não termos conseguido prever o desastre e não emitimos nenhum aviso", disse o governador de Hiroshima Hidehiko Yuzaki a repórteres, explicando por que um aviso de evacuação foi emitido para a área somente após o deslizamento de terra.


Na província vizinha de Shimane, fortes chuvas fizeram o rio Gono transbordar na manhã de terça-feira, levando autoridades da cidade de Gotsu e cidades próximas a emitir ordens de evacuação e recomendações para cerca de 11.000 pessoas de 5.500 famílias em um determinado momento. Ao meio-dia, cerca de 350 pessoas foram evacuadas para abrigos designados.


As chuvas aparentemente provocaram o deslizamento de terra em Hiroshima, com muitas partes da prefeitura vendo os níveis de chuva deste mês já atingirem o dobro da quantidade usual para todo o mês de julho, segundo a JMA.


Devido à influência de uma frente de chuva sazonal e um sistema de baixa pressão que se estende sobre o Mar do Japão, Hiroshima e Shimane viram até 150 a 200 milímetros de chuva em 48 horas até terça-feira de manhã, informou a agência meteorológica.

Ele alertou que o leste do Japão também poderá sofrer fortes chuvas na quarta-feira de manhã.


A chuva incomum de 12 dias no oeste do Japão já superou a chuva observada na área em 2018 por 11 dias.


Na terça-feira, o governo central designou o atual dilúvio como um desastre qualificado para medidas administrativas especiais para reconstruir a vida das vítimas.

Pelo menos 74 pessoas morreram nas chuvas de julho, incluindo 64 na prefeitura de Kumamoto, no sudoeste.


Quase 15.000 casas foram danificadas em áreas mais amplas, incluindo as das prefeituras do leste e nordeste, até a tarde de terça-feira devido à frente ativa das chuvas, segundo a Agência de Gerenciamento de Incêndios e Desastres.


Mais de 100 rios transbordaram, com cerca de 380 casos de danos causados ​​por deslizamentos de terra, informou o Ministério da Terra.