1/3

Durante 6 meses, 84 pessoas morreram de covid-19 em casa


JAPÃO - Um total de 84 pacientes com coronavírus se recuperando em casa no Japão morreram nos seis meses até junho, dados do governo mostraram na segunda-feira, gerando preocupações sobre um possível aumento de mortes relacionadas ao COVID-19 em casa em meio a pressão no sistema médico do país.


Os dados mostraram que quase metade dos pacientes morreu vários dias depois que suas infecções foram relatadas ao ministério da saúde, um sinal de que as pessoas viram suas condições de saúde piorar repentinamente.


Os dados surgiram em um momento em que o número de pacientes com COVID-19 em casa teme aumentar ainda mais, com o número daqueles que se recuperam em casa no Japão chegando a 45.000 na semana passada, cerca de 26.000 a mais que na semana anterior.


O ritmo de aumento está acelerando devido à disseminação da variante Delta, altamente contagiosa, do vírus, detectada pela primeira vez na Índia.


O primeiro-ministro Yoshihide Suga decidiu no início deste mês que, em um esforço para evitar a escassez de leitos hospitalares, apenas os pacientes com casos graves de COVID-19 e aqueles em risco de desenvolver sintomas graves podem ser internados em hospitais em áreas que enfrentam o ressurgimento do vírus.


Dos 84 pacientes, 36 morreram em um a nove dias depois que suas infecções foram relatadas ao Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar por instituições médicas locais. Onze morreram em 10 a 19 dias.


Quatro morreram em 20 dias ou mais tarde, com o caso mais longo sendo em 30 dias. Nove morreram no momento da notificação, enquanto as datas de morte de 24 pacientes eram desconhecidas.


Pacientes idosos representaram mais de 80% dos 84 casos, sendo 36 na casa dos 80 anos ou mais, seguidos por 24 na casa dos 70 e 11 na casa dos 60 anos.


Sete estavam na casa dos 50 anos, um na casa dos 40, três na casa dos 30 e um na casa dos 20. A idade de um paciente era desconhecida.


Dados separados mostraram que novos casos de infecção por coronavírus no Japão totalizaram 12.073 na segunda-feira, um aumento de 43,8% em relação à semana anterior.


Do total, Tóquio confirmou 2.884 casos, o maior nível já registrado para uma segunda-feira.


A média móvel de sete dias dos novos casos de infecção da capital aumentou para 4.135,4 por dia, um aumento de 28,7%.