1/3

Em discurso de Ano-Novo, Kishida promete foco em combate a pandemia e "novo capitalismo"


JAPÃO - O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, no sábado prometeu continuar a tomar todas as medidas necessárias para lutar contra a disseminação da COVID-19 enquanto acelera seu esforço para criar um "novo capitalismo".


Em seu discurso de Ano Novo, Kishida também disse que intensificaria a diplomacia da cúpula em 2022 e que a reforma constitucional seria um "tema principal" do ano.


"Vou melhorar ainda mais a prevenção, os testes e o tratamento precoce e reduzir o risco que o novo coronavírus representa para a sociedade", disse Kishida.


O governo está tentando acelerar o lançamento das vacinas de reforço com a disseminação da variante Omicron na comunidade confirmada em algumas áreas, incluindo Tóquio e Osaka. Nessas regiões, testes de PCR e antígenos gratuitos estão sendo fornecidos


Para apoiar a economia atingida pela pandemia, o parlamento aprovou um orçamento extra recorde de 36 trilhões de ienes para o atual ano fiscal até março.


A resposta da pandemia tem prioridade, mas assim que o país vencer a batalha contra o vírus, o governo se concentrará em políticas para alcançar o crescimento e a distribuição de riqueza, disse ele.


“Perseguir a sustentabilidade econômica criando um ciclo virtuoso de crescimento e distribuição é o tipo de novo capitalismo que estou buscando”, disse ele, pedindo mais aumentos salariais e mais investimento em recursos humanos por parte das empresas.


"Terei um crescimento mais robusto, enfrentando desafios intensos colocados por um sistema econômico operando sob o que pode ser descrito como capitalismo de estado", disse Kishida no que foi visto como uma referência à economia chinesa.


Em seu primeiro discurso de Ano Novo desde que se tornou primeiro-ministro em outubro, Kishida disse que uma liderança sólida é necessária para lidar com a severidade e complexidade dos assuntos internacionais.


Ele prometeu seguir em frente com o que descreveu como uma abordagem diplomática baseada no "realismo para a nova era", dizendo que consiste em três pilares - enfatizando os valores universais, engajando-se nos esforços para resolver os desafios globais e "proteger resolutamente" as vidas e meios de subsistência das pessoas.


Ele expressou esperança de visitar os Estados Unidos para conversas pessoais com o presidente dos EUA, Joe Biden, embora nenhuma data específica tenha sido definida.


Kishida é visto como um conservador moderado em contraste com os membros mais agressivos de seu Partido Liberal Democrata, incluindo o ex-primeiro-ministro Shinzo Abe.


Mas ele prometeu acelerar o debate para atingir a meta do partido de revisar a Constituição pacifista, que foi fortemente pressionada por Abe.


"Vou me esforçar para aprofundar o debate no parlamento e também estimular a discussão entre o povo do Japão", disse o primeiro-ministro de 64 anos.