1/3

Em meio ao Omicron, Japão rebaixa perspectiva econômica do mês de fevereiro


JAPÃO - O governo japonês rebaixou nesta quinta-feira suas perspectivas econômicas pela primeira vez em cinco meses, refletindo a fraqueza no consumo privado.


A economia japonesa "continua se movendo para a recuperação, embora algumas fraquezas sejam vistas como uma situação grave (das atividades econômicas) devido a pandemia", disse o Gabinete em seu relatório de avaliação mensal de fevereiro.


O relatório do mês passado disse que a economia "mostra movimentos de recuperação recentemente, à medida que a situação grave devido a COVID-19 está diminuindo gradualmente".


O último relatório disse que a atenção deve ser dada a um potencial "aumento adicional dos riscos negativos" da disseminação de infecções, citando restrições do lado da oferta e preços mais altos das matérias-primas, bem como os efeitos das flutuações nos mercados financeiro e de capitais.


Um funcionário que informou a mídia sobre o relatório disse: "Continuamos a considerar a situação na Ucrânia como um risco negativo", pois afeta os preços das matérias-primas e do petróleo em meio a temores de uma invasão russa após seu maciço acúmulo militar perto do país do Leste Europeu.


Por componente, o escritório revisou para baixo sua avaliação para o consumo privado pela primeira vez em cinco meses desde setembro, dizendo que "parece estar fazendo uma pausa para aumentar recentemente". A avaliação anterior dizia que "mostra movimentos de retomada".


Das 47 prefeituras, 36 permanecem em estado de quase-emergência devido à disseminação da Omicron. Como a medida implica restrições aos estabelecimentos, como redução do horário de funcionamento e proibição de servir bebidas alcoólicas, tende a frear o consumo nas áreas-alvo.


O sentimento do consumidor foi prejudicado pelo quase estado de emergência e o número de pessoas que visitam instalações comerciais e de entretenimento está em tendência de queda desde janeiro, segundo o relatório.


Observando as tendências nos gastos com cartão de crédito das pessoas, os gastos com serviços, incluindo refeições, estadias em hotéis e viagens, caíram em geral no final de janeiro.


O relatório disse que o investimento empresarial "mostra movimentos de retomada", uma revisão para cima do relatório anterior que dizia que "parece estar fazendo uma pausa para acelerar".


Funcionários disseram que a revisão reflete uma recuperação nos investimentos em software após uma queda durante a onda anterior de infecções no ano passado.


As avaliações de outros componentes principais permaneceram inalteradas. Foi dito que as exportações estão "quase estáveis" e a produção industrial "mostra movimentos de retomada".