TSJ MN_edited.png

1/3

Em sua sétima paralimpíada, Yoshihiro Nitta sonha com novos objetivos em Pequim


CHINA - Enquanto se aproxima de sua sétima aparição paralímpica em Pequim na próxima semana, Yoshihiro Nitta sonha em conquistar o grande ponto culminante de sua carreira com uma quarta medalha de ouro no cross-country.


"Apenas participar não é meu objetivo final", disse o nativo de 41 anos de Okayama. "Quero me preparar para não me arrepender na largada".


Nitta perdeu o antebraço esquerdo aos 3 anos de idade em um acidente com uma colheitadeira conduzida por seu avô. Isso, no entanto, não o impediu de praticar esqui cross-country na terceira série do ensino fundamental, e o resto é história.


Depois de se mudar para o para-esporte aos 15 anos, Nitta fez sua estreia paraolímpica em 1998 em Nagano. Ele alcançou a fama nos Jogos de Vancouver de 2010, seu quarto, ao vencer o sprint de 1 quilômetro em pé e 10 quilômetros em pé clássico. Nitta conquistou o terceiro ouro nos 10 km, em 2018.


"Ser um verdadeiro atleta significa não temer a mudança enquanto enfrenta muitos desafios diferentes", disse Nitta, cuja carreira ilustrou essa filosofia após um revés recente.


Como parte de sua reabilitação depois de torcer o tornozelo esquerdo durante o treino há dois anos, Nitta passou a treinar de bicicleta e os novos treinos aumentaram sua cadência nos esquis.


Desde o final do ano passado, ele também tem se concentrado em envolver seu núcleo inferior ao empurrar com seus bastões para eliminar a flacidez habitual da região lombar.


"Avançar um centímetro a mais significa um tempo mais rápido", disse Nitta.


Seu foco também se estende ao seu protegido, Taiki Kawayoke, de 21 anos, que aparecerá em sua segunda Paraolimpíada.


Transmitindo sua técnica, bem como a mentalidade de representar o Japão, o objetivo de Nitta é que a dupla chegue ao pódio juntos - embora ele não esteja disposto a conceder nada ao jovem.


"Desde que cheguei a esta etapa, quero vencê-la", disse o veterano de fala mansa.