1/3

Empresa cria sistema de IA para impedir roubos e furtos de doações em santuários de Nagoya


AICHI - Uma empresa de segurança japonesa desenvolveu um sistema usando inteligência artificial para detectar roubos e furtos de contribuições em dinheiro das caixas de oferta dos santuários e notificar os paroquianos de incidentes em tempo real.


A empresa Trinity com sede em Nagoya espera que o novo sistema seja lançado neste verão, levando a pegar ladrões em flagrante nos santuários, que estão abertos 24 horas por dia e muitas vezes deixados sem pessoal por longos períodos de tempo.


Muitos visitantes dos santuários do Japão deixam ofertas em dinheiro dentro de caixas de ofertas normalmente instaladas em frente ao edifício principal do santuário.


O sistema é capaz de detectar comportamentos suspeitos capturados por câmeras de segurança, como olhar para uma caixa de oferta ou ir atrás de uma caixa, e envia imagens para usuários registrados através do Line, o "whatsapp do Japão".


Como muitos santuários são administrados por vários paroquianos, o serviço permitirá que qualquer número de pessoas se registrem, de acordo com a empresa.


A empresa começou a desenvolver o sistema há cerca de dois anos, quando foi abordado por um operador de santuário incomodado por roubos de contribuições em dinheiro. Também ouviu separadamente que seringas e contraceptivos foram encontrados no terreno de outro santuário.


"Passamos por inúmeros testes para tentar criar um sistema de IA de baixo custo que também seja compatível com as câmeras de outras empresas", disse o presidente da empresa Takuya Kanematsu.


Um santuário em Minato planeja introduzir o sistema depois de sofrer roubos de caixas de oferta três vezes no passado.


"Leva tempo antes de perceber os roubos porque (a caixa) está desacompanhada. Esperamos que o sistema nos entregue informações em tempo real", disse Masao Banno, representante dos paroquianos de 77 anos em Nanashima Shinmeisha.


A empresa diz que recebeu inúmeras consultas de santuários antes do lançamento do serviço, enquanto já está fazendo progressos com o desenvolvimento de um novo sistema de detecção de incêndio que pode ser usado ao ar livre.


"Há muitos paroquianos preocupados com incêndios", disse Kanematsu, referindo-se a muitos eventos realizados em santuários envolvendo o uso de chamas abertas, como festivais de fogo e cerimônias comemorativas.


"Gostaríamos de fazer dos santuários um ambiente seguro", disse ele.