TSJ MN_edited.png

1/3

Empresas japonesas criarão app de direitos humanos para trabalhadores estrangeiros


JAPÃO - Mais de 200 empresas e organizações japonesas, incluindo a Toyota e Aeon, desenvolverão em conjunto um aplicativo para smartphone para proteger os direitos humanos dos trabalhadores estrangeiros, disse um funcionário da Agência de Cooperação Internacional do Japão na segunda-feira.


A mudança, liderada pela JICA, ocorre em meio a um maior escrutínio por outros países sobre longas horas de trabalho e assédio a trabalhadores estrangeiros no Japão. O aplicativo permitirá que estagiários técnicos e outros trabalhadores consultem organizações terceirizadas sem informar suas empresas.


As entidades: SoftBank, Seven & i, Ajinomoto e a fabricante de bebidas Asahi também se juntarão ao projeto, com a JICA e uma organização de direitos humanos associada atuando como secretaria. Os testes devem ser postos em prática no próximo ano.


Por meio do aplicativo, os trabalhadores estrangeiros poderão relatar seus problemas no local de trabalho diretamente à secretaria.


Além de usar inteligência artificial para responder a consultas simples automaticamente, os desenvolvedores também estão considerando permitir que os usuários relatem locais de trabalho abusivos e organizações anfitriãs aos governos locais e outras autoridades.


“Também gostaríamos de fornecer informações úteis sobre como viver no Japão em vários idiomas”, disse o funcionário da JICA.


O número de trabalhadores estrangeiros no Japão atingiu o recorde de 1,72 milhão em 2020, quase o dobro de cinco anos antes.