1665608300863.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

1665857330426.png
1665857427662.png

1/4
Buscar

Entrantes vacinados com a 3ª dose não serão mais obrigados a comprovar teste negativo para a covid


JAPÃO - O Japão não exigirá mais que os viajantes mostrem um resultado negativo do teste de COVID-19 ao desembarcarem no Japão a partir de 7 de setembro, desde que tenham sido vacinados três vezes.


O governo decidirá em breve se aumentará o limite diário de entrada nos viajantes, atualmente fixado em 20.000, disse o premiê Fumio Kishida, enquanto o Japão pretende relaxar ainda mais suas medidas de controle de fronteira coronavírus, muitas vezes criticadas por serem muito rigorosas, em consonância com outras economias do G-7.


Atualmente, aqueles que desejam entrar no Japão devem mostrar a prova de um teste negativo feito dentro de 72 horas após a partida.


O chefe do executivo também disse que o governo mudará o sistema detalhado de notificação dos números da pandemia, limitando a meta a idosos e aqueles em risco de desenvolver sintomas graves a critério de cada município atingido pelo aumento das infecções do COVID-19. O número total de casos positivos diários ainda será informado.


A revisão faz parte dos esforços do governo para reduzir a carga sobre hospitais e centros de saúde locais, uma vez que a cepa da Omicron aumentou drasticamente os casos e deixou o sistema médico esticado.


"A batalha contra o vírus não é fácil, mas não devemos nos preocupar demais", disse Kishida a repórteres. Atualmente ele continua os trabalhos em casa após ter pegue a doença na volta das férias de verão.


"Levaremos em consideração as características da variante Omicron em mudança e aceleraremos os esforços para tomar medidas antivírus, mantendo a atividade social e econômica o máximo possível", acrescentou.


O limite atual de 20.000 recém-chegados foi estabelecido em junho, tendo sido levantado de 10.000. O limite inclui cidadãos japoneses que retornam do exterior.


O Japão também abriu suas portas novamente para turistas estrangeiros, embora eles precisem estar em pacotes turísticos.


Antes da pandemia, o Japão tinha cerca de 32 milhões de visitantes estrangeiros em 2019, mas o número caiu para cerca de 246.000 em 2021.


Possíveis outras mudanças nas medidas de resposta covid-19 do governo podem incluir a redução do período de isolamento para aqueles que testaram positivo para a COVID-19, dos atuais 10 dias em princípio para uma semana, disseram fontes do governo.


O governo também está considerando recategorizar a pandemia de forma semelhante à gripe sazonal se sua gravidade diminuir, de acordo com as fontes.


De acordo com as leis japonesas de infecção, o vírus é tratado de forma a autorizar a mais ampla gama de contramedidas, incluindo pedidos para que os pacientes fiquem em casa.


As instalações médicas no Japão são atualmente obrigadas a informar detalhes sobre aqueles que testaram positivo, incluindo seus nomes e aniversários, inserindo os dados em um sistema compartilhado com centros de saúde pública.


Mas com a variante Omicron prevalente com menos risco de causar doenças graves em comparação com cepas anteriores, alguns funcionários do governo têm questionado a necessidade de registrar cada caso.


Seguindo em frente, as tendências de infecção serão monitoradas por informar apenas os hospitalizados ou de alto risco, com médicos não mais obrigados a registrar pacientes jovens e com baixo risco de desenvolver sintomas graves.