1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Espetáculo no hóquei, desilusão no salto de esqui, primeira medalha e outras novidades no 1º dia

CHINA - O Japão esteve em ação no primeiro sábado de competições nos Jogos da XXIV Olimpíada de Inverno da Era Moderna, em Pequim, na China. Um sábado marcado de vitórias, derrotas e a primeira medalha aos atletas do Hinomaru.


Junko Hoshino volta a competir nas Olimpíadas após ficar de fora de Pyeongchang

A nipo-esquiadora volta a competir após fracassar em Sochi e ficar de fora dos jogos seguintes, que aconteceu em Pyeongchang na Coréia do Sul em 2018. Após conquistar a vaga, quer fazer diferente em Pequim.


Junko Hoshino volta a defender o Hinomaru nos Jogos de Pequim e pronto para ter uma experiência muito mais memorável.


Agora com 32 anos e veterana de mais de uma década na turnê mundial, a japonesa tem uma perspectiva muito diferente sobre o desafio olímpico que enfrenta em comparação com sua estreia nos Jogos de 2014 na Rússia.


"Em Sochi, eu estava tão nervoso que não me lembro de nada antes do início", disse Hoshino na quinta-feira, depois de avançar para a final de magnatas femininas como a sexta classificatória mais rápida.


"Desta vez, eu estava pensando em lembrar todos os detalhes e mostrar a todos o que tenho praticado todos esses anos."


Na quinta-feira, Hoshino foi rápido nos portões, registrando um marcador inicial com uma corrida de 75,38 pontos que incluiu um backflip e um cork 720.


Embora fosse apenas a classificação, Hoshino parecia surpresa por se encontrar tão longe na classificação, com seu desempenho em sexto lugar consideravelmente melhor do que o que ela conseguiu na rodada equivalente do campeonato mundial de 2021.


"A pontuação aumentou inesperadamente, apesar dos meus erros. Consegui permanecer no modo de ataque", disse ela.


"Desta vez, com a sensação de que tudo está se encaixando, esquiei de uma maneira que todos pudessem ver do que sou capaz."


Seu fracasso em avançar para a final em duas tentativas nas Olimpíadas de 2014 e sua eventual 25ª classificação geral a motivam a garantir que não deixe nada ao acaso no Genting Snow Park em Zhangjiakou.


"Não quero me arrepender, então coloquei tudo para fora e permaneci agressiva", refletiu ela.


"Quero me concentrar em colocar 120% para que eu possa chegar perto de uma corrida perfeita."


Patinação de Velocidade: Miho Takagi termina em 6º fica de fora do pódio final, Ayano Sato também termina com tempo baixo

A capitã Takagi, fracassou no primeiro de seus cinco eventos de patinação de velocidade, terminando em sexto lugar nos 3000 metros femininos vencidos por Irene Schouten, da Holanda, com direito a recorde olímpico.


Competindo contra a italiana Francesca Lollobrigida na 10ª e última dupla, Schouten, de 29 anos, contornou o Oval Nacional de Patinação de Velocidade em 3 minutos e 56,93 segundos para conquistar o ouro.


Takagi marcou 4:01.77, o que a manteve no topo da tabela de classificação durante grande parte da competição no novo estádio reluzente apelidado de "Ice Ribbon".


"Esta foi a minha primeira vez patinando neste rinque e houve pontos em que lutei com meu timing", disse Takagi. "A primeira volta não foi melhor do que o normal (e) aquela largada lamentável acabou comigo."


O outro representante do Japão, Ayano Sato, terminou em nono com 4:03.40.


"Mais do que meu tempo geral e minha colocação, fiquei feliz por poder me mover bem", disse Sato. "Caí na última volta, mas tive bons tempos de volta até então."


Tanto Takagi quanto Sato vão disputar os 1500 metros femininos na segunda-feira. Takagi é o recordista mundial de distância e entrará na corrida como favorita.


Hóquei: Japão vence mais uma e segue firme e forte na competição

As Smiles Cristalinas tiveram um jogo mais fácil do que a anterior, ao vencer a Dinamarca por 6 a 1 em jogo válido pela fase de grupos do Hóquei Feminino.


A vitória neste sábado dá um grande passo em direção à primeira vaga nas quartas de final da história.


O Japão, classificado em sexto lugar no mundo e aparecendo em seus terceiros jogos consecutivos, terminou clinicamente contra o estreante olímpico 11º colocado no Wukesong Sports Center, ao passar para o topo do Grupo B de cinco nações, do qual as três melhores equipes avançarão.


"Foi um jogo que dá a sensação de que desenvolvemos", disse o técnico do Japão, Yuji Iizuka, cuja equipe agora está em boa posição para chegar às quartas de final pela primeira vez nas Olimpíadas.


O Japão estará de volta à ação contra a China no domingo a partir das 5h40 no horário de Brasília, mas Haruka Toko estava confiante após as duas primeiras vitórias.


"Se formos capazes de jogar o nosso jogo desde o início, com certeza venceremos", disse ela.


Esqui: O mundo dá voltas, mesmo que dure alguns dias.



O título desta matéria não é tendencioso e nem sensacionalista, mas sim o que está na boca do povo que acompanha o esqui nas Olimpíadas.


O nipo-esquiador, Ikuma Horishima, que não tinha feito um bom rendimento no dia anterior, mas que conseguiu se classificar para as finais, terminou a competição em terceiro lugar, dando a ele a medalha de bronze e a primeira do Japão nos Jogos da XXIV Olimpíada de Inverno.


Horishima marcou 81,48 pontos para terminar atrás do medalhista de ouro Walter Wallberg dos 83,23 pontos da Suécia no evento masculino em Genting Snow Park em Zhangjiakou.


A medalha de Horishima é a segunda do Japão no esqui estilo livre masculino nas Olimpíadas. Daichi Hara conquistou o bronze para o Japão no mesmo evento há quatro anos em Pyeongchang.


"Eu quase estraguei tudo e estava prestes a desistir, mas isso não aconteceu", disse Horishima depois de ficar um pouco selvagem em seus esquis após o primeiro salto.


Em ambos os lados de sua batalha com os solavancos da seção intermediária, Horishima acertou um backflip limpo e depois um grande 1080 antes de cruzar a linha em 23,86 segundos.


"Estou realmente aliviado porque esta (medalha) era o mínimo que eu estava buscando", disse ele.


Não foi tudo tranquilo para Horishima, no entanto, já que ele foi forçado a esquiar até a final após falhar em sua primeira corrida de qualificação na quinta-feira. Mas conseguiu uma corrida segura fazendo 76,19 pontos que o colocou no início da competição da noite.


Hara terminou em sétimo no que ele disse ser sua última Olimpíada antes de se concentrar em tempo integral em uma carreira profissional no ciclismo keirin. Ele não conseguiu se classificar para a terceira final por apenas 0,10 ponto.


O colega japonês Kosuke Sugimoto também caiu no penúltimo obstáculo, uma corrida de 75,73 pontos deixando-o em nono, enquanto So Matsuda foi eliminado da segunda fase de qualificação.


Salto de Esqui: "É nisso que dá, comemorar antes da hora. Acabei "zikando" a Takanashi", frase de CE Rodrigues ao comentar sobre o resultado da final feminina


A nipo-saltadora, Sara Takanashi, foi citada diversas vezes pelo jornalista CE Rodrigues que comentava a competição na Rádio Mirai ao lado do narrador Nathan Calvário. Como resultado, Sara fez um excelente salto e tudo parecia que a japonesa iria ficar com o ouro em virtude de ter tomado a liderança com o salto.


Porém, as três últimas saltadoras tomaram a medalha da japonesa, ao verem duas eslovenas e uma alemã fazerem saltos mais rápidos e longos, tirando Sara do pódio.


"Todos os meus esforços nos últimos quatro anos resultaram neste quarto lugar. Então, eu aceito e estou satisfeita com isso", disse Takanashi.


Mas depois de entrar nos jogos como uma das saltadoras a serem batidas, a jovem de 25 anos disse que tem emoções contraditórias: "Nem tudo é um mar de rosas. Houve coisas boas e coisas ruins nos últimos quatro anos", disse ela com lágrimas nos olhos.


"Acho normal trabalhar duro, mas isso significa nada se os resultados não vierem. Acho que meu esforço não foi bom o suficiente."


CE Rodrigues que atuava como comentarista, envergonhado, disse: "Eu me sinto envergonhado. Não pela Takanashi! Ela não pipocou, o salto dela foi impecável, diferente das outras três que saltaram. Mas comemorei antes da hora, porque não esperava uma surpresa dessas três. Mas enfim, que sirva de lição pra mim."


Takanashi, cujo salto inicial de 98,5 metros foi rapidamente superada por quatro saltos de 100 metros ou mais, igualou seu quarto lugar nos Jogos de Sochi de 2014.


Os compatriotas japoneses Yuki Ito e Yuka Seto terminaram em 13º e 14º, respectivamente, enquanto Kaori Iwabuchi ficou em 18º.


No início do dia, Ryoyu Kobayashi, esperançoso da medalha de ouro no salto de esqui masculino japonês, progrediu no evento de montanha normal, seu quarto lugar o levando para a rodada de teste individual.


Kobayashi saltou 99 metros para marcar 111,4 pontos, ficando atrás dos noruegueses Marius Lindvik e Robert Johansson e Piotr Zyla da Polônia.


Yukiya Sato ficou em 10º, o irmão mais velho de Kobayashi, Junshiro, em 26º e Naoki Nakamura, em 29º, enquanto os quatro saltadores japoneses avançavam para a primeira rodada da competição a ser disputada no domingo.


Programação do Japão para domingo:


22h30 - Patinação Artística - Programa Curto Feminino: Wakaba Higuchi fará sua estreia na pista de gelo, tentando uma vaga para competir nas próximas fases.


4h - Esqui - Esquiatlo Masculino: Naoto Baba, Haruki Yamashita e Ryo Hirose tentarão a sorte no meio da neve na briga por medalhas.


5h - Patinação de Velocidade: Seitaro Ichinohe vai tentar a sorte ao correr nos 5000 metros da pista oval na briga para definir o menor tempo do percurso na categoria masculina.


5h40 - Hóquei Feminino: Após uma brilhante vitória sobre a Dinamarca, as nossas Smiles Cristalinas vão em busca de mais uma vitória, dessa vez, diante das donas da casa, no terceiro jogo da fase de grupos, a caminho de uma vaga inédita nas quartas de final.


8h - Salto de Esqui: Ryoyu Kobayashi, Yukiya Saito, Naoki Nakamura e Junishiro Kobayashi vão saltar em busca da qualificação para as finais da competição que deve ocorrer na hora seguinte.


8h30 - Luge Masculino: Solitariamente, o japonês Seiya Kobayashi continua na briga para melhorar seu tempo e alcançar as finais da competição.