1/3

Estúdio de "Kimetsu no Yaiba" e presidente são indiciados por sonegação fiscal


JAPÃO - O estúdio da produção de "Kimetsu no Yaiba" e seu presidente foram indiciados pelos promotores de Tóquio na sexta-feira por sonegar um total de 137 milhões de ienes (US$ 1,2 milhão) em impostos corporativos e de consumo.


O Ministério Público do Distrito de Tóquio indiciou Hikaru Kondo, 51, e sua empresa Ufotable, por violar as leis tributárias nacionais depois que o Bureau Regional de Tributação de Tóquio entrou com uma ação criminal em fevereiro do ano passado.


De acordo com a acusação, Kondo sonegou um total de cerca de 109 milhões de ienes em impostos corporativos ao subestimar a receita da empresa para os anos fiscais encerrados em agosto de 2015, 2017 e 2018.


Ele também supostamente evitou cerca de 28 milhões de ienes em impostos sobre o consumo entre setembro de 2014 e agosto de 2018 por não reportar uma parte das vendas tributáveis.


Além da produção de anime, a Ufotable administra cafés e restaurantes em Tóquio, Osaka e várias outras cidades japonesas.