1/3

Estudantes japoneses buscam estreitar laços com a Rússia em meio à crise na Ucrânia


JAPÃO - Os estudantes japoneses forçados a deixar a Rússia esperam fazer uso de suas habilidades linguísticas e atuar como uma ponte entre seu país e Moscou, após a invasão da Ucrânia por este último que provocou condenação e sanções internacionais.


"Quero aceitar um emprego que faça uso das minhas habilidades no idioma russo", disse Sakurako Mitsushima, estudante do quarto ano da Universidade de Osaka, no oeste do Japão, que estudava na Universidade Estadual de Moscou.


Ela lembrou como sua vida de sonho na capital russa foi subitamente interrompida após o ataque militar russo, que agora entrou em seu segundo mês e levou à morte de mais de 1400 civis e causou a fuga de mais de 4 milhões, segundo os Estados Unidos.


Mitsushima disse que sentiu uma mudança drástica na atmosfera em Moscou a partir de 24 de fevereiro, quando a operação militar russa começou. Ela viu placas e adesivos que diziam "Sem Guerra" afixados em paredes e postes em toda a cidade. Eles seriam removidos apenas para reaparecer em breve.


"Fiquei surpresa com a forma como o clima de oposição a guerra aumentou", disse a jovem de 21 anos, acrescentando como viu um manifestante segurando um cartaz que dizia "Já estou farto de assassinatos".


Mitsushima disse que estava programada para ficar até junho, mas decidiu voltar para casa mais cedo, preocupada com a forma como seria capaz de sustentar seu dia-a-dia, dada a exclusão da Rússia da rede internacional de transferência de dinheiro SWIFT.


Pouco antes de embarcar em um avião para deixar a Rússia em 4 de março, ela contou como ficou emocionada pelas circunstâncias que a forçaram a partir.


Atualmente tendo aulas online com a universidade em Moscou, ela enfatizou a necessidade de interações entre as pessoas no Japão e na Rússia, dizendo que o povo russo não deve ser considerado mal por causa das ações de seus líderes.


Um estudante do quarto ano da Universidade de Estudos Estrangeiros de Tóquio, cuja estadia também foi interrompida abruptamente, também acredita que agora é um bom momento para utilizar suas habilidades no idioma.


O estudante de 22 anos, que pediu para não ser identificado, disse que havia acabado de entrar na Rússia em fevereiro para estudar na Universidade de São Petersburgo. Ele retornou ao Japão em 9 de março.


Durante seu curto período lá, ele frequentemente visitava um teatro para assistir balé e acabou se tornando amigo de funcionários de lá. Ele se lembrou de um dos membros da equipe dizendo a ele que ela não via essa guerra como necessária.


Seu sonho é convidar uma companhia de balé do exterior para se apresentar no Japão. "Espero que haja paz em breve e que eu possa transmitir ao Japão as culturas da Rússia e da Ucrânia", disse ele.