1665608300863.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

1665857330426.png
1665857427662.png

1/4
Buscar

Estudos dizem que três medicamentos aprovados no Japão são eficazes contra a subvariante da Omicron


JAPÃO - Três medicamentos contra o coronavirus prescritos no Japão, incluindo molnupiravir, podem ser eficazes contra o subvariante Omicron BA.5, de acordo com um estudo publicado no New England Journal of Medicine na quinta-feira.


Uma equipe liderada por Yoshihiro Kawaoka, professor de virologia da Universidade de Tóquio, descobriu que as drogas antivirais de pequenas moléculas nirmatrelvir, molnupiravir e remdesivir restringiram a atividade do vírus em células de macacos cultivadas infectadas.


Nirmatrelvir é um dos dois ingredientes ativos em Paxlovid, desenvolvido pela Pfizer. Este e molnupiravir, desenvolvido pela Merck & Co., são medicamentos orais.


Remdesivir, desenvolvido pela Gilead Sciences, é intravenosa. Todas as três são companhias farmacêuticas dos EUA.


Ba.5 está impulsionando uma onda de infecções no Japão e em outros lugares do mundo. Os casos diários de coronavírus no país ultrapassaram 150.000 na quarta-feira pela primeira vez.


O estudo, por outro lado, indicou que os medicamentos anticorpos Ronapreve, que contém casirivimab e imdevimab, e Sotrovimab apresentaram eficácia menor do que contra variantes anteriores.


O Japão ainda não tem seu primeiro remédio de uso oral. Na quarta-feira, o Ministério da Saúde adiou a aprovação da pílula Xocova da Shionogi pela segunda vez, preocupada que ela não fosse capaz de demonstrar sua eficácia em seus ensaios clínicos.