1/3

"Eu matei por que ela me bloqueou" diz jovem que matou uma colega


SHIZUOKA - Um homem de 20 anos da mesma universidade que foi preso no mês passado quando uma estudante universitária foi esfaqueada e morta em Numazu, afirmou em depoimento que a matou por ter sido bloqueado no LINE. O gabinete do promotor solicitou uma prisão preventiva para examinar a responsabilidade criminal, e um exame psicológico deve ser realizado.



Em um caso em que Miki Yamada (19), que morava perto da rua em Numazu, morreu no dia 27 do mês passado esfaqueada, o estudante de Mishima, Ai Hori (20), que frequentava a mesma universidade, foi preso logo depois.

Numa entrevista com investigadores, o jovem confessou o crime e disse que matou Miki porque ela o bloqueou no LINE. Ele comprou uma faca, se dirigiu da vitima e a matou durante uma tocaia.


Hori a convidou diversas vezes para comer na sua casa, mas sempre teve seu convite declinado por Yamada. A filial de Numazu do Ministério Público do Distrito de Shizuoka apresentou um pedido de "detenção preventiva" ao tribunal para realizar um exame psicológico por um especialista e verificar a responsabilidade criminal, devido à extrema motivação e apego unilateral. Espera-se que o período dure cerca de 3 meses a partir desta sexta, dia 10, e o Ministério Público julgará se deve processar com base nos resultados da avaliação psicológica.


Fonte: NHK e Sbs de Shizuoka