1/3

Ex-chefe de produtor de ovos é condenado por subornar ex-ministro da fazenda


JAPÃO - Um ex-chefe do produtor de ovos japonês foi condenado na quarta-feira a 20 meses de prisão, com suspensão de quatro anos, por subornar um ex-ministro da fazenda para pedir favores aos produtores de ovos.


O Tribunal Distrital de Tóquio considerou Yoshiki Akita, o ex-chefe da Akita Foods na prefeitura de Hiroshima, culpado de fornecer um total de 5 milhões de ienes (US$ 44.700) para Takamori Yoshikawa, então ministro da Agricultura, Silvicultura e Pesca.


O tribunal reconheceu que Akita, 87, entregou o dinheiro a Yoshikawa entre novembro de 2018 e agosto de 2019 em um hotel de Tóquio e no gabinete do ministro, na esperança de que o ministério da fazenda se opusesse à implementação de rígidos padrões internacionais de bem-estar animal e expandisse um programa governamental para cobrir as perdas dos produtores caso os preços dos ovos caíssem drasticamente.


Os promotores disseram durante o julgamento que Akita estava preocupado que tais padrões aumentassem o custo de manter os animais. Em troca do dinheiro, o ministério realizou reuniões com produtores de ovos sobre os padrões, com legisladores às vezes presentes.


Ao proferir a decisão, o juiz presidente Katsuko Mukai disse que o caso "prejudicou seriamente a confiança pública na governança agrícola e na política nacional".


Akita também foi considerado culpado de comprar ingressos no valor total de 5,34 milhões de ienes em nomes de outras pessoas para festas de arrecadação de fundos realizadas por Yoshikawa e o ex-ministro da Justiça Katsuyuki Kawai, em violação à lei de controle de fundos políticos.


"O ato foi egocêntrico para evitar qualquer desvantagem que pudesse surgir se as compras massivas fossem divulgadas", disse Mukai, acrescentando que a sentença foi suspensa, em consideração à idade avançada do réu e sua admissão de culpa.


Com Akita se declarando culpado das acusações, seus advogados pediram clemência, alegando que ele estava trabalhando em benefício da indústria de ovos.


O ex-ministro da Fazenda Yoshikawa se declarou inocente em seu julgamento. O homem de 70 anos admitiu ter recebido o dinheiro, mas afirmou que o havia recebido como uma "doação política". Ele deixou o cargo de legislador em dezembro do ano passado.


Enquanto isso, Kawai foi condenado em junho a três anos de prisão e um confisco de 1,3 milhão de ienes em um caso separado de alto perfil sobre a compra de votos para sua esposa Anri em seu distrito eleitoral na província de Hiroshima em uma eleição para a câmara alta de 2019.