1/3

Ex-operador de site de mangá ilegal condenado a 3 anos de prisão


FUKUOKA - Um homem de 29 anos foi condenado na quarta-feira a três anos de prisão por operar um site de mangá que permitia às pessoas ler cópias piratas de quadrinhos populares como "One Piece".


O Tribunal Distrital de Fukuoka considerou Romi Hoshino culpado de violação de direitos autorais por administrar o site Manga-Mura, que se acredita ter causado perdas à indústria de mangá de mais de 300 bilhões de ienes (US $ 2,7 bilhões), impondo uma multa de 10 milhões de ienes.


O juiz presidente Hiroshi Kambara também ordenou o confisco de cerca de 62 milhões de ienes em produtos do crime que Hoshino havia escondido em contas bancárias no exterior.


Ao proferir a decisão, Kambara disse que a operação do agora fechado site Manga-Mura carregava "o risco de destruir fundamentalmente a estrutura de lucro das obras protegidas por direitos autorais e prejudicar o desenvolvimento da cultura".


Hoshino pediu a vários cúmplices que se juntassem a ele na disponibilização do mangá para o site por meio de um sistema que ele estabeleceu com a intenção de ganhar muito dinheiro, segundo Kambara.


Os promotores solicitaram 54 meses de prisão e uma multa de 10 milhões de ienes, juntamente com o confisco dos produtos do crime, que foram ganhos por meio de anúncios online no site.


Pedindo uma pena suspensa, a equipe de defesa de Hoshino argumentou durante o julgamento que suas ações não constituíam um crime porque alguns dos arquivos de mangá carregados no Manga-Mura já podiam ser visualizados em outros sites.


Hoshino foi detido nas Filipinas após ter sido listado em uma lista internacional de procurados e foi deportado para o Japão em setembro de 2019. Ele havia entrado nas Filipinas em maio do ano anterior.


De acordo com a decisão, Hoshino conspirou com três cúmplices para violar a lei de direitos autorais ao enviar arquivos de imagem não autorizados dos quadrinhos megahit "One Piece" e "Kingdom" em maio de 2017 no Manga-Mura.


Hoshino escondeu os 62 milhões de ienes em contas bancárias no exterior entre dezembro de 2016 e novembro de 2017. O site Manga-Mura foi fechado em abril de 2018, um mês antes de sua partida para as Filipinas.


Os cúmplices de Hoshino - dois homens e uma mulher - já foram condenados. Um funcionário da Shueisha, uma grande editora, saudou a sentença de prisão como "apropriada".


"Se uma obra em que os autores se empenharam puder ser acessada livremente pelo público, isso prejudicaria o meio ambiente ao criar obras interessantes", disse ele em entrevista coletiva após a decisão.


Shueisha é a editora de "One Piece" e "Kingdom", bem como de muitas outras séries de mangás populares.


O oficial acrescentou que espera que a decisão impeça as pessoas de enviar mangás ilegalmente online. Embora a Manga-Mura tenha sido fechada, a Shueisha e outras grandes editoras dizem que ainda existem vários sites violando direitos autorais.