1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Fabricantes fornecem aumentos salariais aos seus funcionários


JAPÃO - Os principais fabricantes japoneses, incluindo Hitachi e Honda, ofereceram nesta quarta-feira aumentos salariais a seus funcionários após negociações com os sindicatos da categoria.


Os aumentos foram mais significativos do que no ano passado, com Hitachi, Toshiba e NEC, em um movimento raro entre as empresas, todos atendendo plenamente às demandas de seus sindicatos para aumentar o salário base em uma média de 3000 ienes por mês.


Os aumentos para o ano fiscal de 2022 foram anunciados depois que o primeiro-ministro Fumio Kishida, que prometeu redistribuir riqueza, pediu aumentos salariais de mais de 3% para empresas que viram seus lucros subirem para níveis antes da pandemia.


A Mitsubishi e a Fujitsu disseram que vão recompensar os trabalhadores em tempo integral com um aumento de 1500 ienes no salário-base mensal no novo ano fiscal a partir do próximo mês.


A Toyota, que tem uma forte influência na definição da direção das negociações "shunt" do país todos os anos, concordou no início deste mês em atender integralmente às exigências salariais e de bônus apresentadas por seu sindicato.


A Honda disse na quarta-feira que respondeu totalmente ao pedido de seu sindicato para aumentar seu salário base em 3000 ienes por mês.


No Japão, as negociações salariais geralmente envolvem sindicatos pedindo aumentos na escala salarial com base no desempenho corporativo, além de aumentos salariais regulares fixos de acordo com as conquistas individuais e outros fatores, como o tempo de emprego.


As negociações entre a direção e os sindicatos culminam em março.


Nippon Steel, JFE e Kobe Steel disseram que os salários-base de seus trabalhadores aumentarão em média 3000 ienes por mês no ano fiscal de 2022 e 2000 ienes no próximo ano.


Os aumentos são os maiores desde 1998, quando as grandes siderúrgicas começaram a se envolver em negociações por dois anos de cada vez. Os respectivos sindicatos solicitaram um aumento de 3500 ienes para os dois anos.