1/3

Fujifilm poderá reiniciar o ensaio clínico de Avigan para COVID-19


JAPÃO - A Fujifilm está considerando reiniciar um ensaio clínico no Japão para seu medicamento antiviral Avigan no tratamento de pacientes com COVID-19, disseram fontes da empresa no domingo, depois que o governo suspendeu a aprovação do medicamento no ano passado.


Detalhes, incluindo quando o estudo iria começar, métodos a serem usados ​​e pacientes-alvo ainda não foram determinados, disseram as fontes. A aprovação do Avigan poderia expandir as opções de tratamento no país além dos dois atualmente disponíveis.


O governo japonês aprovou a droga antiviral remdesivir, desenvolvida pela empresa norte-americana Gilead Sciences Inc., e o esteróide dexametasona para o tratamento com COVID-19.


O uso do Avigan poderia ser expandido se o governo o aprovasse como um agente terapêutico COVID-19 também. As instituições médicas atualmente oferecem Avigan para pacientes com coronavírus que desejam que seja administrado a eles como um "estudo observacional".


Em dezembro, um painel do ministério da saúde julgou que é difícil chegar a uma conclusão sobre a eficácia do Avigan com base nos resultados de testes clínicos. Mas um funcionário do ministério disse que a decisão não descarta totalmente a eficácia do medicamento.


A farmacêutica Fujifilm Toyama Chemical Co., uma unidade da Fujifilm, pediu a aprovação do COVID-19 em outubro.


O Avigan, também conhecido como favipiravir, já recebeu aprovação como medicamento contra a gripe. Mas alguns médicos especialistas se opõem ao uso de Avigan para o tratamento do coronavírus.


Os possíveis efeitos colaterais incluem diminuição da função hepática, mas Fujifilm disse que não foram identificados novos problemas de segurança. Mulheres grávidas não podem usar a droga, pois alguns estudos em animais apontaram para possíveis anormalidades fetais.