1/3

Funcionário hospitalar que foi vacinado duas vezes está infectado novamente


JAPÃO - Um funcionário de um hospital no centro do Japão que recebeu duas vacinas foi confirmado no domingo como infectado com o novo coronavírus, já que o país relatou 2.777 casos diários com as prefeituras de Tóquio e Osaka continuando a ver uma recuperação nas infecções.


As autoridades locais disseram que o funcionário temporário de um hospital na província de Ishikawa recebeu doses da vacina desenvolvida pela Pfizer Inc. em 13 de março e 3 de abril. A pessoa ainda não apresentou sintomas, disseram.


"Em geral, leva tempo antes que os anticorpos sejam produzidos após a vacinação", disse um funcionário do governo municipal.


O Japão começou a vacinação para profissionais de saúde em fevereiro. A vacina da empresa farmacêutica dos EUA é administrada duas vezes, com três semanas de intervalo.


O trabalhador fez um teste depois de entrar em contato com uma pessoa infectada. Segundo o hospital, a pessoa não lida com pacientes.


Também no domingo, Tóquio relatou mais 421 casos de coronavírus, um dia antes de o governo metropolitano impor medidas mais rígidas para prevenir a propagação do vírus.


A Prefeitura de Osaka confirmou 760 casos diários, menos do que seu recorde de 918 marcado no dia anterior, em meio a temores de que a prefeitura ocidental e a região mais ampla de Kansai estejam experimentando uma onda de variantes mais contagiosas do coronavírus.


Em Tóquio, o último número elevou o total acumulado na capital para 125.978 e a média móvel de sete dias de infecções para 468, um aumento de 20,1% em relação à semana anterior.


O governo metropolitano vai começar a impor medidas de prevenção mais duras em muitas partes de Tóquio na segunda-feira, incluindo pedir a restaurantes e bares em áreas densamente povoadas que fechem às 20h.


Mas as etapas serão implementadas sem que o governo central declare o estado de emergência. No mês passado, o Japão suspendeu totalmente um segundo estado de emergência contra coronavírus que estava em vigor desde janeiro em Tóquio e outras áreas.


As medidas quase emergenciais foram introduzidas em 5 de abril nas prefeituras de Osaka, Hyogo e Miyagi. O primeiro-ministro Yoshihide Suga decidiu na sexta-feira adicionar Tóquio, Kyoto e Okinawa à lista de áreas cobertas.