1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Fuzileiros navais dos EUA realizam exercícios em japonês para melhorar parceria com SDF


JAPÃO - O Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA realizou um exercício no Japão com ordens dadas em japonês pela primeira vez, de acordo com as tropas, em um movimento que visa fortalecer sua parceria com as Forças de Autodefesa.


Embora não esteja claro se os fuzileiros navais irão interagir em japonês em operações reais, o uso da língua em um treinamento de fuzileiros navais sugere que Washington está tentando engajar a Força de Autodefesa Terrestre do Japão em novas operações envolvendo ilhas remotas, de acordo com uma fonte da SDF.


Em um exercício dos fuzileiros navais num campo de aviação na Ilha Ie, na prefeitura da ilha ao sul de Okinawa, um repórter da agência de notícias confirmou que um fuzileiro naval instruiu outros membros em japonês a mover um foguete e dispará-lo apontando para um ponto no mapa.


O exercício fazia parte das novas Operações de Base Avançada Expedicionária dos Fuzileiros Navais, ou EABO, em que as tropas praticam a obtenção de uma base para um ataque a uma ilha.


"Gostaríamos muito de aumentar nossa parceria e interoperabilidade", disse o capitão Brett Hermanson, do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA.


Os fuzileiros navais dos EUA disseram: "Eles estão aprendendo e praticando frases japonesas que os ajudarão a compartilhar informações no nível tático no campo de batalha com seus colegas japoneses para nos ajudar a lutar juntos como uma força integrada."


Enquanto isso, um oficial do governo japonês disse que a medida é considerada parte de uma "política de apaziguamento" sob a qual os fuzileiros navais pretendem envolver o GSDF em novas operações, mostrando sua atitude pró-Japão.


Embora a EABO não especifique nenhum lugar em particular, uma fonte militar dos EUA disse que o treinamento da EABO "poderia estar ligado à defesa das Ilhas Senkaku" no Mar da China Oriental, áreas desabitadas controladas por Tóquio, mas reivindicadas por Pequim, que as chama de Diaoyu.


A fonte da SDF disse se as unidades da Marinha implantadas nas áreas de batalha podem garantir uma rota de abastecimento é um fator chave nos exercícios de EMBO, e o lado dos EUA quer que o GSDF do Japão forneça apoio logístico.


Em maio, os fuzileiros navais realizaram um simpósio sobre EABO com o GSDF na província de Shizuoka, no centro do Japão. A fonte militar dos EUA expressou disposição para realizar mais exercícios em Okinawa com o GSDF.