1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

G-7 organiza reunião urgente para discutir andamento da crise entre Rússia e Ucrânia


ALEMANHA - Os ministros das Relações Exteriores do G-7 realizarão uma reunião de emergência no sábado para discutir os esforços diplomáticos para evitar uma invasão russa da Ucrânia.


Após as discussões em Munique, os ministros da Grã-Bretanha, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão e EUA devem emitir uma declaração conjunta pedindo à Rússia que alivie as tensões e afirme a unidade do G-7 para lidar com uma das piores crises depois da Guerra Fria.


A reunião acontecerá à margem da Conferência de Segurança de Munique, enquanto a comunidade internacional monitora ansiosamente a situação nas fronteiras da Ucrânia, onde a Rússia parece ter reunido até 190.000 soldados.


Na sexta-feira, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse estar "convencido" de que o presidente russo, Vladimir Putin, decidiu invadir a Ucrânia dentro de dias, com alvos incluindo sua capital Kiev.


A Rússia alertou que pode tomar "medidas técnico-militares" não especificadas se os Estados Unidos e seus aliados continuarem a rejeitar a exigência de Moscou por garantias de segurança que impeçam a entrada da Ucrânia na OTAN.


A Rússia tem afirmado que sua segurança está ameaçada pela expansão da entidade para o leste, enquanto nega qualquer intenção de invadir o país.


Os países do G-7 já adotaram uma posição firme sobre a crise, com seus ministros das Finanças alertando em um comunicado no início desta semana que sanções econômicas com "consequências massivas e imediatas" serão impostas à Rússia se invadir a Ucrânia.


A reunião dos principais diplomatas lançará as bases para uma cúpula virtual dos líderes do G-7, prevista para a próxima quinta-feira.


Eles se encontraram pela última vez em dezembro na cidade inglesa de Liverpool e reafirmaram seu "compromisso inabalável" com a soberania e a integridade territorial da Ucrânia.


"Gostaria de trocar opiniões francamente sobre a situação na Ucrânia, que continua imprevisível", disse o ministro das Relações Exteriores do Japão, Yoshimasa Hayashi, a repórteres na sexta-feira antes de partir para a cidade alemã.


Hayashi também terá reuniões bilaterais com outros ministros das Relações Exteriores do G-7 e participará da conferência anual de segurança no sábado, segundo o Ministério das Relações Exteriores do Japão.