1/3

Gabinete aprova projetos de lei para promover reformas digitais adiadas no Japão


O Gabinete aprovou na terça-feira projetos de lei para promover a digitalização do Japão centrando-se no lançamento de uma nova agência governamental em setembro, com a pandemia de coronavírus expondo deficiências na provisão de serviços administrativos do país.


O governo do primeiro-ministro Yoshihide Suga espera que o estabelecimento da agência e a renovação dos sistemas de computador nos governos central e local aumentem a qualidade dos serviços ao público após anos de atraso do país na implementação de iniciativas de digitalização.


O governo de Suga, que priorizou as reformas digitais, pretende que os projetos sejam aprovados no parlamento durante a atual sessão ordinária até junho.


"Queremos promover a digitalização do Japão e mostrar resultados visíveis ao povo", disse Takuya Hirai, ministro encarregado do trabalho de digitalização, em entrevista coletiva.


O Japão há muito luta para promover reformas administrativas utilizando tecnologia da informação, apesar de ter buscado melhorias desde cerca de 2000.


Depois que a pandemia atingiu o ano passado e o governo decidiu oferecer doações em dinheiro e subsídios às empresas para manter as pessoas empregadas, ele foi criticado por uma implementação lenta das medidas.


No início deste mês, entretanto, Suga se desculpou pelo fracasso do ministério da saúde em descobrir uma falha técnica que havia tornado seu aplicativo de smartphone para o rastreamento de contatos COVID-19 inútil para usuários do Android desde setembro.


A nova agência destinada a promover a digitalização nos setores público e privado seria liderada por um ministro e seu posto administrativo mais alto seria preenchido por uma pessoa contratada do setor privado.


O governo planeja ter cerca de 500 pessoas na agência, das quais mais de 100 são engenheiros civis de TI.


A nova entidade terá a tarefa de promover o sistema de identificação pessoal "Meu Número", atualmente sob a jurisdição do Gabinete do Gabinete e do Ministério da Administração Interna e Comunicações, para que possa ser utilizado para a concessão de benefícios em situações de emergência como o atual pandemia.


De acordo com a legislação planejada, o governo está tentando eliminar os selos "hanko" em documentos oficiais e documentos em papel para muitos procedimentos administrativos. Essas têm sido partes importantes da cultura administrativa ou de trabalho do país, mas são vistas como um fator importante para o atraso da digitalização.


Um dos projetos de lei relacionados a sistemas de informática usados ​​pelo setor público obrigaria os governos locais a introduzir outros que atendam aos padrões do governo central, uma medida vista como uma medida para ajudar os governos locais a se comunicarem entre si e ajudar a melhorar a prestação de serviços públicos.