1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Garoto Patrick finalmente passa por cirurgia e deve voltar para casa em breve ao receber alta


QUIOTO - Depois de meses de espera, o garoto brasileiro, Patrick Sakamoto, de 13 anos, foi finalmente submetido a uma cirurgia de transplante de fígado, para tratar do câncer do qual foi diagnosticado no início de 2022.


A operação foi realizada no último dia 24 em Quioto. De lá em diante deverá aguardar entre 60 a 90 dias para receber alta e poder voltar para casa.


“Nas duas primeiras semanas será necessária muita atenção com o novo fígado para verificar se não haverá rejeição e se ele irá funcionar corretamente no novo organismo. Até receber alta serão mais dois a três meses”, explica a mãe de Patrick, Leticia Sakamoto, em entrevista a Revista Alternativa.


Tudo começou quando o garoto começou a reclamar de dores abdominais desde o início do ano, o que precisou ser hospitalizado em Shizuoka. Em março, foi diagnosticado com uma carcicoma hepatocelular após uma biópsia médica, que é um câncer raro em crianças, uma vez que só acontece em adultos vítimas de cirrose.


A partir de então começou uma corrida contra o tempo para que ele realizasse um transplante de fígado já que, de acordo com os médicos, o tratamento com quimioterapia em crianças poderia gerar problemas no coração.


“A quimioterapia começou no dia 13 de março, porém os médicos já tinham avisado que não seria possível curá-lo só com a quimioterapia, já que, por ser muito forte, se muito utilizada em crianças pode gerar problemas no coração”, adiciona Leticia sobre o tratamento.


A notícia sensibilizou jornais e pessoas da comunidade brasileira dentro e fora do Japão, que por sua vez, publicou notícias, realizou eventos beneficentes e tudo o que foi necessário para ajudar no pagamento do tratamento, que era absurdamente caro.


“A campanha começou com um pedido que postei na internet pois estava em desespero. E todos se comoveram e começaram a me ajudar de alguma forma”, lembra Letícia, que também realizou um financiamento coletivo na internet que conseguiu levantar o dinheiro necessário para a realização do transplante e tratamento. Em duas contas bancárias, foram arrecadados mais de ¥45 milhões.


Ainda de acordo com a mãe do garoto, como Patrick não poderia esperar muito tempo na fila de transplante, foi decidido que o doador seria seu tio, irmão de Leticia, que doou 30% do lado esquerdo do fígado.


“Os médicos falaram que conseguiram retirar todo o câncer. No total foram 4kg de tumor. Porém, como ainda pode existir algum resquício que não está visível, ele seguirá realizando exames mesmo após receber alta”.


A cirurgia durou 17 longas horas e Patrick segue na UTI, acordado e se comunicando com a família, apesar não conseguir falar por muito tempo, uma vez que perde seu fôlego ao falar. Já seu tio foi transferido para um quarto onde continuará a recuperação.


Leticia, por sua vez, só tem a agradecer todo o carinho e apoio recebido nesses meses. “Eu não tenho palavras para agradecer a todas as pessoas que ajudaram o Patrick. Tenho gratidão a todos”, finaliza.