1/3

Golfe: Hideki Matsuyama volta aos gramados dos EUA


EUA - Depois de aproveitar a glória, o campeão do Masters Hideki Matsuyama está pronto para voltar ao trabalho no AT&T Byron Nelson desta semana, que é uma parada no PGA Tour e um evento da FedExCup.


Matsuyama, que se tornou o primeiro jogador do Japão a vencer um campeonato masculino principal no Masters de 8-11 de abril, disse na terça-feira que aproveitou seu tempo longe do golfe, mas que a prioridade agora é trabalhar em seu swing e fazer um contato sólido.


"Não joguei golfe por cerca de um mês. Primeiro, tenho que me recuperar em boas condições", disse Matsuyama no Texas antes do evento de 72 buracos que começa na quinta-feira.


O jogador de 29 anos disse que recebeu muitos elogios de quase todos os jogadores do clube do TPC Craig Ranch, e que foi em momentos como esse que sua vitória no Masters realmente apareceu.


Matsuyama, como vários outros grandes jogadores de golfe, optou por não participar das Olimpíadas do Rio em 2016 devido a temores sobre o vírus Zika.


E ele ecoou comentários recentes de outros atletas japoneses e estrelas do tênis Naomi Osaka e Kei Nishikori ao expressar preocupações sobre a realização dos Jogos de Tóquio em meio à pandemia.


"Se eles forem disputados com segurança, estou almejando a medalha de ouro. Mas considerando a situação atual no Japão, não sei (sobre eles estrearão em 23 de julho, conforme planejado)", disse ele.


Faltam menos de três meses para as Olimpíadas, mas Tóquio e várias outras regiões do Japão estão atualmente em estado de emergência com o objetivo de reduzir o número de infecções por coronavírus.


Matsuyama, atualmente em 15º lugar no ranking mundial, tem efetivamente garantido um lugar nos atrasados ​​Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020. A qualificação será baseada no Ranking Mundial Oficial de Golfe de 21 de junho para homens.


Algumas das maiores estrelas do golfe estão perdendo a oportunidade de competir pela medalha de ouro em Tóquio. O número 1 do mundo, Dustin Johnson, dos Estados Unidos, Adam Scott da Austrália e Danny Lee da Nova Zelândia, disseram que não jogarão nas Olimpíadas.